Projeto social apresenta novas possibilidades a crianças da periferia de Vitória através do balé

A ‘Faculdade Popular’ também oferece outras aulas e oportunidades gratuitas para quem decide escolher o caminho do bem.

A rotina e os sonhos da pequena Debora Robeiro Colati, de oito anos, já não são mais os mesmos há alguns meses. Agora ela enxerga novas possibilidades através das aulas de balé que frequenta em um projeto social no bairro Santa Martha, periferia de Vitória, junto com mais de 50 crianças. A “Faculdade Popular” também oferece outras aulas e oportunidades gratuitas para quem decide escolher o caminho do bem.

“Meu sonho é ser uma bailarina muito profissional, e eu vou chegar lá”, acredita Debora. Para a mãe, a dona de casa Ana Paula Colati, a determinação é motivo de orgulho. “É um projeto que vai realizar não só o sonho dela, mas o de outras meninas também”, defende.

Debora entre as amigas do curso de balé

Debora entre as amigas do curso de balé

Meninas como a Crislayne Loreiro, também de oito anos. A mãe Patrícia Angelo da Silva contou que já percebeu mudanças no comportamento da filha desde que ela entrou no projeto.

“Agora, depois das aulas ela volta se sentindo uma princesa”, descreveu.

Ninguém paga nada pelas aulas em que se aprende dança e disciplina. Além das posturas corretas, as crianças aprendem a “se soltar”, um remédio até para timidez de algumas delas, que só precisavam de uma oportunidade para descobrir o talento.

As aulas de balé surgiram com a chegada da professora Fernanda Ribeiro, uma servidora pública formada em dança, que faz balé desde criança. Ela contou que sempre contribuiu com aulas em igrejas e agora realiza um sonho levando oportunidade à comunidade de Santa Martha.

“Essas crianças são maravilhosas, têm demonstrado que terão um futuro brilhante pela frente. Acho que as aulas ajudam na vida das crianças na medida que contribuem na formação do corpo, da postura, da disciplina. A mente delas fica voltada para a arte e não pensam em se envolver em nenhuma atividade de risco social”, explicou a professora.

Aulas acontecem sob o olhar atento da professora Fernanda

Aulas acontecem sob o olhar atento da professora Fernanda

O desempenho da aluna Debora é motivo para elogios da professora. “Eu tenho ela como exemplar. Ela já vem me auxiliando nas aulas, já sabe as posições direitinho das mãos, dos pés”, disse Fernanda.

A primeira apresentação da turma do balé para toda a comunidade de Santa Martha foi na semana passada, em um evento de programação de Natal que reuniu a criançada toda.

Raí, abrindo caminho para os meninos

Raí é o único menino na turma de balé do bairro Santa Martha

Raí é o único menino na turma de balé do bairro Santa Martha

O pequeno Raí Junior Meira Ramos, de quatro anos, é o único menino da turma e um dos que mais se destaca nas aulas. Através do empenho na dança, ele mostra que o balé é para todos.

A vontade de participar quebrou preconceitos dentro da própria família.

“O pai dele teve um pouquinho de resistência, mas depois que viu ele dançando, se apaixonou. Não tem como não se apaixonar”, disse a mãe de Raí, Marina Elisa de Ramos.

Assista à versão desta reportagem que foi ao ar no ES1: