Policiais civis prendem suspeitos por tentativa de venda de automóvel roubado em Nova Venécia

As equipes das Delegacias de Polícia (DP) de Nova Venécia e Jaguaré efetuaram, nesta segunda-feira (16), a prisão em flagrante de dois suspeitos pela tentativa de venda de um veículo roubado. A.F.S., de 23 anos, e A.A.P., de 22 anos, foram detidos no bairro Filomena, em Nova Venécia.

Segundo o titular da DP de Nova Venécia, delegado Douglas Sperandio, o crime ocorreu no dia 1º deste mês. “De acordo com o relato de uma das vítimas, quatro homens armados invadiram uma residência na zona rural de Jaguaré, renderam a família e levaram o automóvel”, explicou.

O delegado relatou que ao decorrer dos dias, o responsável pelo produto roubado viu o anúncio de um automóvel em um site de vendas on-line. O carro estava com outra placa, mas a vítima o reconheceu devido à algumas especificidades que havia na lataria, como pequenos amassados e riscos. O automóvel estava sendo vendido por R$ 20 mil.

“Depois de reconhecer o veículo, a vítima se passou por compradora e junto com os policiais foi até o local para realizar a suposta venda. A equipe encontrou o automóvel na posse dos suspeitos no centro de Nova Venécia, os detidos foram seguidos e abordados na região do bairro Filomena. Eles foram presos em flagrante no local”, ressaltou Sperandio.

Douglas Sperandio também relatou que há informações de que o carro foi levado para a Bahia e A.A.P. estava retornando com ele para o Espírito Santo na intenção de efetuar a venda. Ele residia em Teixeira de Freitas, na Bahia. “Em depoimento o suspeito alegou que uma pessoa que ele não conhece pediu para trazer o veículo para o Espírito Santo e disse não ter participação na venda do veículo. É a segunda vez que o suspeito é preso com carro clonado”, alegou.

Já A.F.S. morava no município de Boa Esperança, ele também negou participação na negociação do automóvel. As investigações do roubo do veículo ficarão encarregadas pela Delegacia de Polícia de Jaguaré.

Os suspeitos foram autuados em flagrante pelo crime de receptação qualificada e encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Mateus.