Grupo faz campanha em terminal de ônibus no ES para conscientizar sobre violência contra mulher

Objetivo da ação é informar as pessoas sobre como e em quais lugares as vítimas podem procurar ajuda. Terminal do Ibes, em Vila Velha, teve a primeira ação.

Para enfrentar diretamente a violência doméstica e a violência contra a mulher, grupos de mulheres que atuam na causa se uniram para levar informações em um dos locais de maior circulação de pessoas em Vila Velha: o Terminal do Ibes.

A ação, que teve início às 7 horas, vai até as 19 horas desta segunda-feira (9). Ao longo de 12 horas serão distribuídos materiais informativos sobre onde e como as vítimas podem buscar ajuda. Profissionais também estão disponíveis para esclarecer dúvidas.

A ação é promovida pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES), com o apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social de Vila Velha, do Centro de Referência no Atendimento Especializado à Mulher em Situação de Violência Doméstica de Vila Velha (Cramvive), do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), da Comissão da Mulher Advogada da OAB de Vila Velha, do Fórum Capixaba de Homens Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres e de movimentos de mulheres.

Campanha para enfrentamento da violência contra mulheres acontece ao longo desta segunda-feira no Terminal do Ibes, em Vila Velha — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Campanha para enfrentamento da violência contra mulheres acontece ao longo desta segunda-feira no Terminal do Ibes, em Vila Velha — Foto: Reprodução/TV Gazeta

De acordo com Edinalva Brito Gomes, que é presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Mulheres, o objetivo da proposta é mostrar que as mulheres possuem uma rede de amparo com a qual podem contar para superar a situação de violência.

“A gente quer mostrar que há mulheres trabalhando em prol dessa causa. A mulher que sofre violência tem ajuda pode buscá-la”, pontua.

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), do início deste ano até 30 de novembro ocorreram 29 feminicídios no Espírito Santo. Isso representa uma redução de 9,2% em relação a 2018, quando foram registrados 32 feminicídios.

Ainda assim, as estatísticas preocupam. A promotora de Justiça Cláudia Garcia, lembra que as mulheres devem buscar ajuda. Uma das possibilidades é o Centro de Referência no Atendimento Especializado à Mulher em Situação de Violência Doméstica de Vila Velha (Cramvive), em Vila Velha, que pode auxiliar as vítimas inclusive nos períodos da noite e nos finais de semana.

O plantão do Cranvive funciona das 18 às 23 horas e pode ser acionado pelo telefone 99873-6343.

“Ali é um serviço onde a mulher vai encontrar um acompanhamento psicossocial mesmo que ela não queira ir até uma delegacia de polícia, não queira registrar uma ocorrência contra o seu marido. Por que a gente sabe que muitas vezes a mulher não quer se separar. Ela quer viver sem violência”, esclarece Cláudia.