Resultado do terceiro trimestre do Banestes revela lucro líquido recorde de R$ 167 milhões

O Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes S.A.) obteve lucro líquido de R$ 167 milhões no acumulado dos nove meses de 2019, uma evolução de 22,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Recebem destaque a expansão das receitas de prestação de serviços (+10,1%) e de operações de crédito (+5,0%). Os números foram divulgados em reunião pública, realizada na manhã desta terça-feira (12), na agência Banestes Valores, em Vitória-ES.

O terceiro trimestre do ano registrou lucro líquido de R$ 58 milhões, crescimento de 27,5% em relação ao trimestre anterior e de 5,5% comparado ao mesmo trimestre de 2018. O Resultado Operacional atingiu R$ 91 milhões, evoluindo 32,9% contra o trimestre anterior. Essas variações foram decorrentes, principalmente, do aumento das receitas com crédito (7,9% em 3 meses e 5,6% em 12 meses), das receitas com serviços (2,3% em 3 meses e 8,7% em 12 meses) e de ganhos com reversões operacionais, com destaque para as reversões cíveis.

O diretor-presidente do Banestes, José Amarildo Casagrande, comemorou o resultado positivo e reforçou que os números são um reflexo das atuais estratégias adotadas. “Nos últimos três meses, mantivemos o foco na modernização dos sistemas de informação, de infraestrutura de comunicação e da segurança. Investimos na expansão das operações dos cartões de crédito Banestes Visa e também do Banescard. Além disso, ampliamos a prestação de serviços por meio dos canais digitais, como o Internet Banking e o Aplicativo Banestes. Recebe destaque ainda o App Banestes Cartões, o mais recente lançado pelo Banco. Tudo isso, imersos em uma nova cultura interna em desenvolvimento: a de inovação. Por meio da Gerência de Laboratório Banestes (Gelab), temos promovido a transformação digital, conectando pessoas, ideias, compartilhando conhecimento, de forma a desenvolver equipe e promover a interação do Banco com o ecossistema de inovação”, destacou.

O diretor de Relações com Investidores e Finanças do Banestes, Fernando Poncio Paiva, detalhou os resultados obtidos para o público presente à reunião pública, composto por autoridades do Estado, representantes da Diretoria do Banco, acionistas, analistas de investimentos, jornalistas, funcionários do Banestes e outros convidados.

Paiva enfatizou que o resultado positivo representa o compromisso do banco capixaba com seus acionistas e com o desenvolvimento local. “O Banestes, alinhado ao compromisso assumido com os seus acionistas, superou o resultado do terceiro trimestre de 2018. Isso reflete o esforço e a estratégia assertiva desempenhada por toda equipe, que, juntos, cresceram e superaram as expectativas, possibilitando uma excelente remuneração aos acionistas”, disse.

Resultado do terceiro trimestre

No terceiro trimestre do ano, o Lucro Líquido por ação foi de R$ 0,18, acumulando o valor de R$ 0,70 nos últimos doze meses. Nesse período, o Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio (ROE) foi de 14,1%.

A Margem Financeira registrou R$ 183 milhões no terceiro trimestre do ano, aumento de 9,8% na comparação com o trimestre anterior. Os itens que impactaram positivamente o resultado foram: i) as receitas com operações de crédito (+7,9% em 3 meses e +5,6% em 12 meses) e ii) a despesa com provisões de crédito (93,0% em 12 meses) face inadimplência pontual no segmento corporativo. No terceiro trimestre, as Receitas de Prestação de Serviços somaram R$ 94 milhões, representando um aumento de 2,3% em relação ao trimestre anterior e de 8,7% contra o mesmo trimestre de 2018, diante da elevação das receitas com administração de fundos (+12,8% em 3 meses e +22,8% em 12 meses), das receitas com cartões (+4,6% em três meses e +10,2% em 12 meses) e das receitas com conta corrente e depósitos (+6,3% em 3 meses e +7,7% em 12 meses). No acumulado do ano, registraram R$ 270 milhões, crescendo 10,1% contra o mesmo período de 2018.

O Índice de Inadimplência da Carteira de Crédito Ampliada (> 90 dias) encerrou o trimestre em 2,5%, estável em relação ao trimestre anterior e 0,1 p.p. superior ao registrado no mesmo período de 2018. Na Carteira de Crédito Comercial, a inadimplência (> 90 dias) encerrou o trimestre registrando 3,7%, queda de 0,1 p.p. contra o trimestre anterior e aumento de 0,3 p.p. ante o mesmo período de 2018. As operações com atraso superior a 90 dias no segmento de pessoa física atingiram 2,5%, enquanto no segmento corporativo fechou em 5,8%.

Ao final de setembro de 2019, os Ativos Totais registraram saldo de R$ 24,3 bilhões. O Patrimônio Líquido atingiu o saldo de R$ 1,6 bilhão no terceiro trimestre de 2019, crescimento de 2,4% em relação ao trimestre anterior e de 8,9% se comparado ao mesmo período de 2018. O BANESTES mantém sólido crescimento do seu capital, fator indispensável para suportar o financiamento da atividade produtiva e as necessidades de clientes de modo mais eficiente e competitivo. A relação entre o Patrimônio Líquido e Ativo Total foi de 6,5%.

A Carteira de Crédito Ampliada registrou um saldo de R$ 6,3 bilhões no fim do terceiro trimestre do ano, crescimento de 6,1% em relação ao mesmo período de 2018. As maiores evoluções do trimestre, em comparação ao mesmo trimestre de 2018, foram registradas pelas concessões na modalidade de empréstimos (+7,4%), pelos financiamentos imobiliários (+14,9%) e pelas operações de cartão de crédito (+18,5%).

A Carteira de Crédito Comercial (conceito Bacen) registrou o saldo de R$ 4,2 bilhões, crescente 1,4% em relação ao mesmo período de 2018. Desse montante, R$ 2,7 bilhões (63,8%) são de operações com pessoas físicas e R$ 1,5 bilhão com pessoas jurídicas (36,2%). Da carteira de pessoa jurídica, 88,0% são concessões a micro, pequenas e médias empresas, e 12,0% a grandes empresas.

No terceiro trimestre, foram distribuídos R$ 20 milhões aos acionistas a título de Juros Sobre Capital Próprio (JSCP). No acumulado dos últimos doze meses, foi destinado aos acionistas o valor de R$ 95 milhões a título de JSCP, representando a distribuição de 44,7% do lucro líquido.

O BANESTES possui papel fundamental na economia do Estado do Espírito Santo, participando ativamente no financiamento do consumo, da produção e do investimento local, apoiando de forma segura e rentável o processo de democratização do crédito e inclusão financeira. Para isso, utiliza como estratégia a diversificação da oferta do crédito a condições comerciais competitivas e sustentáveis, com foco na aplicação dos recursos prioritariamente nas carteiras com menor risco e com maiores garantias.

Rating

A nota de rating em escala nacional (moeda local) para risco de crédito medida pela Fitch Ratings manteve-se em A+(bra) no período, com perspectiva positiva. A RISKBank, responsável pelo sistema de classificação de Risco Bancário, manteve a nota de classificação do BANESTES no período em 9,72 BRMP 2 (Baixo Risco de Médio Prazo).

Sobre o BANESTES

O BANESTES (B3: BEES3, BEES4), sociedade anônima de capital aberto e de economia mista criada em 1937, é um banco múltiplo controlado pelo Estado do Espírito Santo e um dos mais importantes agentes de crédito do Estado.

Em seus 82 anos de história, contribui decisivamente para o desenvolvimento socioeconômico local e compõe, com mais três empresas (Banestes Seguros S.A., Banestes Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. e Banestes Administradora, Corretora de Seguros, Previdência e Capitalização Ltda.), o Sistema Financeiro BANESTES.

Oferece um portfólio completo de soluções, produtos e serviços financeiros aos seus clientes e detém a maior rede bancária do Estado do Espírito Santo, com 870 pontos de atendimento, sendo o único banco com agências em todos os 78 municípios capixabas.