Menina atingida por concreto que caiu de varanda em Guarapari, ES, tem alta do hospital

Anna Luíza estava no colo do pai, passando por uma calçada, quando pedaços de concreto de prédio se soltaram e caíram. Caso aconteceu no dia 19 de outubro.

Por Kaique Dias, G1 ES e TV Gazeta

A menina Anna Luíza, de dois anos, recebeu alta hospitalar na manhã desta terça-feira (12), após quase um mês internada. Ela era carregada no colo pelo pai quando pedaços de concreto se soltaram de uma varanda e a atingiram, em cima da calçada. O acidente aconteceu no dia 19 de outubro, na Praia do Morro, em Guarapari.

Anna Luíza estava com mais sete pessoas da família quando foi atingida pelo pedaço de concreto. Eles são de Pirapora, em Minas Gerais, e estavam em Guarapari a passeio, para conhecer o mar.

“A gente veio para ficar dois dias para se divertir, conhecer o mar que era um sonho de toda a família. Um sonho que virou pesadelo”, disse a mãe da menina, Sheila Rodrigues.

Menina de 2 anos foi atingida na cabeça por pedaço de varanda no Espírito Santo — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Menina de 2 anos foi atingida na cabeça por pedaço de varanda no Espírito Santo — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Com o acidente, Anna Luzia foi internada no Hospital Infantil de Vitória e parte da família precisou ficar no Espírito Santo para acompanhar a recuperação da criança. Ela teve que passar por uma cirurgia na cabeça.

Alta e acompanhamento médico

Agora, depois de quase um mês, a família planeja voltar para casa. Anna Luiza ainda não recuperou alguns movimentos e, por isso, vai precisar de acompanhamento médico por mais tempo.

“Vamos acompanhar com neuro, fisioterapia e fono, porque está um pouco paralisado o lado esquerdo dela. Foi muito grave o trauma na cabeça, agora vamos estar acompanhando para voltar ao normal o mais rápido possível”, disse a mãe.

Menina de dois anos teve alta após ser atingida por pedaço de concreto em Guarapari — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Menina de dois anos teve alta após ser atingida por pedaço de concreto em Guarapari — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Assistência e responsabilidade

O condomínio responsável pela varanda está prestando assistência à família da criança. Mas a avó de Anna Luíza, Geni Rodrigues de Abreu, pediu que haja mais fiscalização para que outras família não sofram com o mesmo drama.

“Espero que as autoridades tomem providência s para que isso não aconteça de novo com outras famílias”, disse.

A previsão é de que a família retorne para Minas Gerais dentro de cinco dias. “Estou bem aliviada de ter ela nos meus braços de novo, e voltar para casa, para minha família. O que mais quero agora é pegar minha pequena, voltar para casa e ver ela totalmente recuperada de novo”, finalizou a avó.