Intolerância religiosa é tema de audiência pública

Evento da Comissão de Cidadania será nesta terça-feira, às 18h30, no Plenário Dirceu Cardoso, com transmissão ao vivo pela TV Assembleia

Por Gabriela Zorzal

Duas pessoas com mãos levantadas e atrás delas imagens de santos
Ataques a religiões de matriz africana representam a maioria das denúncias de intolerância religiosa / Foto: Luisina Lopez Ferrari

A intolerância religiosa será discutida em audiência pública da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos nesta terça-feira (19), às 18h30, no Plenário Dirceu Cardoso. Com a presença de representantes das religiões de matriz africana, o evento vai debater o tema “Espírito Santo tem povo de santo, sim! Reexistir das religiões afro-brasileiras”. A presidente do colegiado é a deputada Iriny Lopes (PT).

Dos casos de intolerância religiosa recebidas pelo Disque 100 entre 2011 e 2018, 59% se referem a religiões de matriz africana, como o candomblé e a umbanda. O Disque 100 é o número de telefone com abrangência nacional que recebe denúncias anônimas de violação de direitos humanos.

“Os dados de intolerância religiosa são assustadores e crescentes. É necessário ressaltar a resistência do povo africano e seus descendentes, o enfrentamento ao racismo, à perseguição histórica aos terreiros de candomblé e umbanda. É um tema que precisa ser discutido”, defendeu Iriny.

A audiência pública será no Plenário Dirceu Cardoso, na sede do Poder Legislativo, e vai ser transmitida ao vivo pela TV Assembleia.