De volta à sala de aula depois de 35 anos, dona de casa faz Enem para cursar veterinária, no ES

Enir de Oliveira Ferreira, de 48 anos, foi incentivada pelo marido a voltar a estudar. Ela faz as provas do Enem em Vitória e garante: ‘Nunca é tarde para recomeçar’.

Por Luiza Marcondes, G1 ES

ENEM 2019 - DOMINGO (10) - VITÓRIA (ES) - Depois de 35 anos sem estudar, candidata volta à sala de aula e faz Enem — Foto: Luiza Marcondes/ G1 ES

ENEM 2019 – DOMINGO (10) – VITÓRIA (ES) – Depois de 35 anos sem estudar, candidata volta à sala de aula e faz Enem — Foto: Luiza Marcondes/ G1 ES

Depois de 35 anos fora das salas de aula, a dona de casa Enir de Oliveira Ferreira, de 48 anos, faz as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em Vitória, no Espírito Santo, para tentar uma vaga em medicina veterinária.

De Afonso Cláudio, na região Serrana do Estado, Enir se casou aos 16 anos e teve o primeiro filho aos 19. O segundo filho veio em seguida, quando tinha 20 anos. Ela e o marido se mudaram para Vitória e trabalharam com transporte escolar.

Nesse período, decidiram priorizar a educação das crianças e deixaram os estudos de lado. “Um se formou em química e agora é mestre, e o outro é analista de sistemas”, relatou.

Agora, com os filhos formados, o marido de Enir a convenceu de que era a hora de os dois voltarem a estudar. “Eu não achei que ia dar certo, mas decidi tentar”, disse ela.

  • Enem 2019: acompanhe em tempo real a cobertura no Espírito Santo
  • Enem 2019 aplica neste domingo as provas de matemática e ciências da natureza

Enir voltou para a sala de aula em 2017 para concluir as séries finais do Ensino Fundamental pelo Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

Neste ano, ela está terminando o 3º ano do Ensino Médio e vai tentar uma vaga para medicina veterinária. Já marido está no 2º ano e fará a prova no próximo ano. “No início, meu marido me inspirou, e agora eu estou inspirando ele”, contou Enir.

Sobre a diferença de idade em relação aos outros participantes do exame, a dona de casa disse que chegou a ficar constrangida no primeiro dia de prova.

“Eu me senti constrangida por ser mais velha e ter um monte de jovens, mas agora eu superei isso e estou bem. Nunca é tarde para recomeçar”, disse.