Brasil lança primeira campanha para prevenir obesidade infantil

Brasil lança primeira campanha para prevenir obesidade infantil

Publicação do Ministério da Saúde é baseada nas principais dúvidas de mães, pais e famílias e recomenda a não utilização de açúcar e alimentos ultraprocessados
– Foto:
Erasmo Salomão / Ministério da Saúde

Para garantir a saúde das crianças, desde os primeiros anos de vida, o Ministério da Saúde lançou, na quarta-feira (12),  a primeira Campanha de Prevenção e Controle da Obesidade Infantil. Uma das ações é o novo Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de 2 Anos.

Uma boa alimentação é fundamental em qualquer idade e especialmente nos primeiros anos já que são decisivos para o desenvolvimento e formação de hábitos. “Essas crianças, tendo uma saúde debilitada agora com sobrepeso e obesidade, aumentam em 40% o risco de câncer e o risco cardiovascular. É de extrema importância pra saúde no futuro”, alertou o embaixador da Campanha, Marcio Atalla, durante o lançamento da Campanha no Rio de Janeiro (RJ).

De acordo com o Ministério da Saúde, as crianças estão sendo expostas muito cedo, já nos primeiros anos de vida, a alimentos ultraprocessados, como biscoitos recheados, salgadinhos de pacote, bebidas açucaradas, muito sódio, gordura e açúcar. Além de engordar, esses alimentos prejudicam a saúde e causam diabetes, hipertensão, colesterol alto e até doenças cardíacas.

“Os números são verdadeiros dramas pro nosso País. Sobrepeso em um percentual muito grande da nossa população, obesidade, inatividade, sedentarismo, um tempo-tela muito elevado. Então, é um conjunto, uma situação multifatorial”, ressaltou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

 Marcio Atalla chamou a atenção também para o sedentarismo, “o fato é de que 78% das crianças brasileiras não se movimentam, não brincam uma hora por dia que é o mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”.

 A campanha será multimídia e, posteriormente, serão criadas ações para manter o assunto na pauta lembrando também a participação e importância do pai no processo de amamentação infantil.

 O ministro adiantou ainda que, no próximo mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve alterar as regras para rotulagem de alimentos trazendo mais informações para o consumidor.

Além disso, o Ministério está realizando um inquérito nacional que vai avaliar a condição de saúde das crianças de todo Brasil. “Está em campo e teremos os resultados no segundo semestre do próximo ano. O último inquérito é de 2006 e mostrava a prevalência da anemia em 20% das crianças”, adiantou a coordenadora-geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Gisele Bortolini.

Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de 2 anos

Juntamente com a Campanha de Prevenção e Controle da Obesidade Infantil, foi lançado o novo Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de 2 Anos.

O Guia ajuda os pais a saberem o que precisam mudar na alimentação dos filhos. De acordo com a publicação, as crianças devem ingerir alimentos saudáveis, como frutas e verduras. O ideal é que alimentos ultraprocessados sejam gradualmente retirados de qualquer cardápio de crianças.

A alimentação da família deve ser um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto. “Criança não é um adulto em miniatura. Você precisa proteger ao máximo”, lembrou o ministro Mandetta.

Outra nova recomendação para evitar a obesidade é de que o alimento deve ser escolhido com base no nível de processamento e não com foco apenas em nutrientes. “A gente vai construir com o tempo essa consciência alimentar”, destacou o ministro da Saúde.

O guia traz também dicas de culinária, inclusive para vegetarianos. E acrescenta os direitos relacionados à alimentação infantil. É direcionado a pais, responsáveis, educadores e profissionais de saúde. A nova versão tem linguagem mais acessível e menos teórica. A primeira versão do Guia foi publicada em 2002. A nova edição atualiza as recomendações de acordo com as novas evidências científicas.

 Confira o Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de 2 anos:

 
12 passos para uma alimentação saudável


1- Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses;

2- Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir dos 6 meses;

3- Oferecer água própria para o consumo à criança em vez de sucos, refrigerantes e outras bebidas açucaradas;

4- Oferecer a comida amassada quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno;

5- Não oferecer açúcar nem preparações ou produtos que contenham açúcar à criança até 2 anos de idade;

6- Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança;

7- Cozinhar a mesma comida para a criança e para a família;

8- Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto da família;

9- Prestar atenção aos sinais de fome e saciedade da criança e conversar com ela durante a refeição;

10- Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família;

11- Oferecer à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa;

12- Proteger a criança da publicidade de alimentos.