Espírito Santo terá 64 escolas de tempo integral e 11.450 novas vagas no próximo ano

A partir do ano letivo de 2020, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação (Sedu), vai ampliar a oferta de vagas em Escolas em Tempo Integral, além da implantação de novos modelos, como o Tempo Integral Rural e o Tempo Integral integrado ao Curso Técnico. Além disso, um segundo modelo de Tempo Integral, com carga horária de sete horas diárias, também será colocado em prática em escolas da Rede Pública Estadual.

Em 2020, serão 64 Escolas de Tempo Integral, sendo 46 com carga horária de nove horas e meia, das quais 03 Integradas ao Curso Técnico (carga horária de nove horas e meia); 15 Integradas ao Curso Técnico (carga horária de sete horas); 03 de Tempo Integral Rural (carga horária de nove horas e meia). A previsão é que 11.450 novas vagas sejam ofertadas em Tempo Integral nos 34 municípios.

As novidades foram anunciadas pelo governador Renato Casagrande e o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (17), no Palácio Anchieta, em Vitória.

“Nós estamos dando um salto na oferta na educação de Tempo Integral no Espírito Santo. Em 2020 vamos abrir 28 novas escolas e neste ano abrimos quatro, então são 32 novas escolas e 11 mil novas matrículas em dois anos. É o mesmo número dos últimos quatro anos e isso mostra o nosso compromisso com o Tempo Integral. Acreditamos que o projeto que se estabelece na ampliação das unidades pode ampliar a qualidade, aumentando também as oportunidades, diminuindo a violência e reduzindo a desigualdade de renda. A educação é o instrumento para gerar oportunidades”, disse o governador.

Casagrande destacou ainda a ampliação do Ensino Técnico na Rede Estadual. “As novas escolas, em sua grande parte, vão ofertar o Ensino Técnico como oportunidade. Estamos buscando colocar essas escolas em regiões onde as pessoas mais necessitam, gerando assim oportunidades”, afirmou.

O secretário Vitor de Angelo reforçou que a ampliação do número de matrículas no Tempo Integral é uma meta do governo e também fez parte das premissas dos Planos Nacional e Estadual de Educação. “Assumimos o Governo com o percentual de matrículas nessa modalidade que não perfazia nem 8% do total, fazendo com que no 5º ano de vigência da meta, ou seja, metade do tempo, não tenha sido atingido a metade do objetivo final”, ponderou.

“Muitas das escolas que ofertam o Tempo Integral atualmente estão com ociosidade de matrículas e pouco aproveitamento dos espaços físicos. Dessa forma, entendemos propício expandir a oferta de educação em Tempo Integral pensando em outros modelos que poderiam atender a um número maior de estudantes, inseridos em diferentes contextos”, justificou o secretário. As 36 escolas estaduais que hoje já ofertam educação em Tempo Integral, permanecem como estão, com carga horária de nove horas e meia.

A Sedu esclarece que o número de vagas abertas por unidade de ensino, as modalidades dos cursos técnicos e outros detalhamentos serão divulgados assim que for definida a data da chamada pública 2020.