ES: homem é preso suspeito de extorquir R$ 300 mil de amigo se passando por delegado

Vanderclei está no Centro de Triagem de Viana — Foto: Divulgação/Polícia Civil-ES

Um montador de móveis de 39 anos foi preso por ser suspeito de extorquir um amigo em R$ 300 mil, durante três anos, no Espírito Santo. Segundo a polícia, ele é Vanderclei do Nascimento, e durante o tempo que fez ameaças à vítimas por meio de aplicativo de mensagens, se passou por delegado, advogado, promotor e até juiz.

O delegado Brenno Andrade, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, explicou que a polícia tomou conhecimento do caso depois que a vítima procurou ajuda da polícia e contou pelo que estava passando desde 2016.

Como o suspeito agia

Segundo a polícia, tudo começou quando Vanderclei disse ao amigo que teve o celular roubado. Depois, ele ligou para a vítima, se passando por delegado, dizendo que o celular havia sido recuperado e que no aparelho existiam provas de pedofilia pela parte dele.

Mesmo sem ter cometido pedofilia, o amigo teve medo e começou a fazer os depósitos porque era ameaçado pelo suspeito.

“O Vanderclei falou para a vítima que supostamente teriam imagens que poderiam levar a vítima a responder pelo crime de pedofilia. Também fez ameaças, falando que a vítima poderia ter a família prejudicada, que sabia onde os filhos estudavam. Em função disso, a vítima começou a depositar dinheiro na conta desse delegado de polícia”, falou o delegado Brenno Andrade.

Além de delegado, Vanderclei se passou por advogado, promotor e até juiz para coagir o amigo.

“Primeiro era um delegado de polícia. Posteriormente, esse delegado morreu. O advogado então entrou na história, informando que o delegado era cliente desse advogado. Posteriormente, um promotor e um juiz entraram na transação. Era uma coisa até meio absurda, mas a vítima se deixou envolver por aqui, tomada pelas ameaças, e aí não cabe a gente fazer juízo de valor, pelo fato de ela ter caído ou não”, disse.

Suspeito é pai de adolescente morta

Um detalhe chamou a atenção da polícia: Vanderclei é pai da adolescente Karoline Vitória. Ela foi encontrada morta às margens da rodovia Serafim Derenzi no fim de setembro deste ano. Estava com as mãos amarradas e tinha marcas de tiros no corpo.

“A princípio não tem nenhuma ligação um fato com outro”, falou o delegado.

Vanderclei está preso no Centro de Triagem de Viana.