Pela 6ª vez, Messi é eleito melhor jogador do mundo

Pela sexta vez, o mundo está aos pés de Lionel Messi. O craque do Barcelona superou Virgil van Dijk, do Liverpool, e Cristiano Ronaldo, da Juventus, e conquistou o prêmio “Fifa The Best” de melhor jogador do mundo da temporada 2018/19. O camisa 10 argentino agora é o maior vencedor da premiação no futebol masculino, com seis troféus, uma a mais que CR7. Ele iguala Marta, que também tem seis conquistas no feminino.

Veja a classificação final do prêmio

Posição Nome Clube Pontos
1 Messi Barcelona 46
2 Van Dijk Liverpool 38
3 Cristiano Ronaldo Juventus 36
4 Salah Liverpool 26
5 Mané Liverpool 23
6 Mbappé PSG 17
7 De Jong Ajax/Barcelona 16
8 Hazard Chelsea/Real Madrid 16
9 De Ligt Ajax/Juventus 9
10 Kane Tottenham 5

Embora não tenha conquistado a Liga dos Campeões da Europa, Lionel Messi se credenciou ao prêmio com números expressivos. Ninguém na última temporada fez tantos gols ou participou de tantos gols quanto ele. O argentino balançou as redes 54 vezes em 56 jogos e ainda deu 19 assistências por Barcelona e Argentina no período.

– Na verdade, eu sempre digo que o prêmio individual é secundário, o mais importante é o coletivo. Mas hoje é especial para mim, tive a oportunidade de estar ao lado da minha mulher e de dois dos meus três filhos. O Thiago já veio aqui, mas era muito pequeno, hoje vê-los ali não tem preço. São dois apaixonados por futebol, e estão adorando ver tantos jogadores aqui, não sabem se pedem autógrafos, estão tímidos – disse Messi.

Messi conquistou o Campeonato Espanhol pelo Barcelona e foi o Chuteira de Ouro da Europa com seus 36 gols no torneio. Na Liga dos Campeões, marcou 12 vezes e também foi o artilheiro da competição. Ele volta a ser eleito o melhor do mundo após quatro anos. O argentino esteve no topo em 2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e, agora, em 2019.

O camisa 10 do Barça desbancou o favorito Van Dijk, que foi eleito o melhor jogador da Europa na cerimônia organizada pela Uefa e era encarado como principal candidato a conquistar também o prêmio da Fifa. Com isso, o italiano Fabio Cannavaro, em 2006, continua como o único defensor a conquistar a honraria.

Como funcionou a votação?

A votação teve o seguinte colégio eleitoral: técnicos e capitães de todas as seleções filiadas à Fifa, um jornalista de cada país e internautas que votaram na enquete no site da Fifa. Todos só podiam escolher entre os 10 finalistas da premiação, selecionados pelo grupo de lendas da entidade.

O melhor colocado em cada grupo votante recebeu 12 pontos. O segundo ficou com 10 pontos, o terceiro com oito, o quarto com sete, assim por diante. Messi foi o mais votado entre técnicos (12 pontos), capitães (12 pontos) e internautas (12 pontos), e o segundo entre os jornalistas (10 pontos). Por isso, terminou com 46 pontos.

Van Dijk foi o melhor para os jornalistas (12 pontos), o terceiro entre os técnicos (oito pontos), o segundo para os capitães (10 pontos) e o terceiro entre os internautas (oito pontos). Terminou, portanto, com 38 pontos.

Cristiano Ronaldo foi o segundo para técnicos (10 pontos) e internautas (10 pontos), e o terceiro entre capitães (oito pontos) e jornalistas (oito pontos), com um total de 36 pontos.

 — Foto: Infoesporte

— Foto: Infoesporte