Número de acidentes com ciclistas aumenta 44% no Espírito Santo em 2019

O número de acidentes com ciclistas subiu 44% no Espírito Santo em 2019, em comparação com 2018, segundo dados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De janeiro a setembro de 2019, foram registrados 1007 atendimentos a ciclistas.

A Federação Espírito Santense de Ciclismo (Fesc) afirma que o número de usuários de bicicletas cresce no estado. A estimativa é de que cerca de quatro mil pessoas circulem de bicicleta todos os dias no Espírito Santo.

André Cerqueira, que é representante do movimento capixaba para salvar vidas no trânsito, explica que os ciclistas estão no lado mais vulnerável no trânsito.

Os vulneráveis no trânsito, que a gente entende que são os motociclistas, pedestres e ciclistas, correspondem a mais de 50% dos óbitos. Precisamos ter mais educação no trânsito“, alertou.

O presidente da Fesc, Sandro Oliveira, pontua que itens de sinalização noturna refletiva, campainha, espelho retrovisor, lanternas, luvas e capacetes podem ser usados para aumentar a segurança do ciclista.

O ciclista precisa ser visto no trânsito. De preferência ele tem que usar roupas claras, sempre andar na mãos dos carros, nunca andar na contramão. Isso em locais que não possuem ciclovias ou ciclofaixas“, frisou.

No dia 27 de junho deste ano, o ciclista Valdeci Eugênio Delogo, 57 anos,  foi atropelado por um veículo que era conduzido por um menor.

O acidente aconteceu na estrada que dá acesso a AABB. Ele foi socorrido até o Pronto Socorro Dr. Rita de Cássia, onde ficou vários dias internado. Ele teve ferimentos na cabeça e no corpo.

Trauma

Richard Neves foi atropelado por uma moto em Vila Velha — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Richard Neves foi atropelado por uma moto em Vila Velha

Richard Neves foi atropelado por uma moto na Avenida Carlos Lindenberg, em Vila Velha, e precisou de seis meses para se recuperar das lesões. Depois do acidente, ele voltou a pedalar e percorre 10 km por dia até ao trabalho. O jovem faz questão de estar sempre bem protegido.

Eu nem vi de onde a moto veio. Quando acordei eu já estava todo machucado no chão. O que eu digo para todos é ter mais responsabilidade no trânsito. Seja carro, moto, ônibus, caminhão, bicicleta. Todos precisam estar atentos no trânsito“, disse Richard.

Mortes

O mecânico Luis Fernando Pereira Almeida, de 22 anos, morreu atropelado na BR-262, em Cariacica, no Espírito Santo, na manhã de quarta-feira (4). Ele foi atingido por um caminhão.

No dia 30 de agosto, na Rodovia do Sol, em Vila Velha, um ciclista também acabou morrendo após ser atingido por uma moto. A batida foi tão forte que a bicicleta ficou enroscada na roda do veículo.