Jogadores e diretoria do Nacional de Água Doce do Norte comemoraram 60 anos de história

Kelmy, filho de Edivaldo, tornou-se a principal referência da equipe em toda história do Nacional, criado desde criança vendo a paixão do pai pelo time, ele aprendeu a amar o Nacional.

Por Rodolpho Rocha / portaladn

O feriado do último 7 de setembro de 2019, teve um sabor muito especial para os torcedores do time do Nacional E.C. de Água Doce do Norte, uma vez que o time é o mais tradicional do município e completou 60 anos de fundação.

Para comemorar essa data tão importante duas partidas foram realizadas no Estádio Municipal Lourdes Coimbra Elizeu.

Em campo o time do Flamenguinho foi convidado para participar da grande festa realizada entre os desportistas que marcaram presença.

As categorias aspirante e titular entraram em campo, jogaram futebol e alimentaram a paixão pelo esporte que contagia diversas gerações aguadocense. No fim o Nacional venceu os dois jogos, 3×1 no aspirante e 2×1 no titular.

Depois da partida não faltou churrasco, cerveja, e muita confraternização entre os jogadores e amigos que prestigiaram as comemorações da existência do Nacional.

O presidente do Nacional, Edivaldo Mendes se sentiu lisongeado ao falar da equipe, ele afirma que para ele o Nacional é muito mais que um time de futebol, é um pedaço da sua história.

Edivaldo disse perder as contas de quantas confraternizações da sua família ele deixou de comparecer para ver de perto sua maior paixão, difícil mesmo era quando as escalas de trabalho não permitiam que ele estivesse presente nas partidas.

Atualmente o Nacional só participa de jogos festivos e algumas competições específicas. Edivaldo disse ainda que o futebol amador já não é mais o mesmo de anos atrás, hoje em dia não basta dar conforto e lazer para os atletas, os caras não tem trabalho de nada, tem carro com ar condicionado pra buscar na porta de casa, água gelada durante toda partida, uniforme limpo, confraternização após os jogos, e eles ainda querem receber dinheiro pra jogar futebol, ai não dá né, chega uma hora que isso cansa, a falta de reconhecimento das pessoas acaba desanimando qualquer um de seguir em frente.

Kelmy, filho de Edivaldo, tornou-se a principal referência da equipe em toda história do Nacional, criado desde criança vendo a paixão do pai pelo time, ele aprendeu a amar o Nacional.

Durante a adolescência Kelmy jogou nas categorias de base de Fluminense (RJ) e Criciuma (SC), além de uma breve passagem pelo futebol português, sempre que surgia uma brecha nas férias ele voltava para Agua Doce do Norte, e jogar amistosos e competições para o Nacional, era mais que um prazer para o jovem goleiro na época.

Para conhecer um pouco mais sobre esse time com mais de meio século de história, basta dá um pulo no Galpão’s Bar do Baiano, localizado na Rua Merson Vieira, (próximo ao estádio), lá estão todos os troféus, posters e fotos de jogadores que marcaram a história do Nacional que se tornou um pedacinho de Água Doce do Norte.