Capixaba Richarlison ajuda garota a fazer teste em time de futebol

O capixaba Richarlison, do Everton e da Seleção Brasileira, marcou mais um golaço fora das quatro linhas. Depois de doar camisas do Brasil para crianças do interior do Espírito Santo, de arrecadar alimentos para a população carente de Nova Venécia e de viabilizar a viagem de uma turma para a Olimpíada de Matemática na Ásia, agora o atacante vai realizar o sonho de uma jovem jogadora de Vila Velha.

A meio de campo Ana Débora, do Selc, postou um vídeo nas redes sociais pedindo ajuda para o custeio da viagem para o Rio de Janeiro, onde ganhou a oportunidade de fazer um teste no Vasco. Richarlison teve acesso à publicação, entrou em contato com a jogadora e se comprometeu a bancar as passagens aéreas e hospedagem.

Ana Débora revela que, no primeiro momento, não acreditou que era o próprio Richarlison quem estava te “estendendo a mão”. A jogadora lembra que se emocionou e agradeceu o apoio do jogador da Seleção.

– Quando recebi a primeira mensagem, realmente não acreditei que fosse ele. Na hora que entrei no perfil e vi era o Richarlison, eu chorei muito. Foi muito emocionante porque lembrei de tudo o que a gente passa para ser jogadora de futebol. Principalmente com apoio da família, que não temos totalmente. Por isso sou muito grata por essa oportunidade que ele me deu.

A jogadora de 18 anos, do time Selc, de Cariacica, conta que não tinha noção que a sua campanha chegaria até o atacante Richarlison.

– A ideia de fazer a campanha foi de uma amiga minha. Quando surgiu a oportunidade da peneira no Vasco, ficamos pensando: “como vamos conseguir levantar esse dinheiro e chegar até o Rio de Janeiro?” Pensamos em rifa, vaquinha online, mas nada deu certo. Então decidimos fazer um vídeo para publicar nas redes sociais com o objetivo de chegar em alguém famoso ou até mesmo na televisão aqui do Estado. Acabou que o vídeo ganhou grandes proporções e chegou ao Richarlison.

Paixão pela bola

A jogadora Ana Débora nasceu em Fortaleza, mas mora em Vila Velha desde os três anos de idade. Criada por sua mãe, a meia de campo diz que se considera capixaba.

– Comecei a jogar bola desde cedo, quando tinha oito anos. A paixão de futebol acho que nasceu comigo porque minha mãe me criou sozinha e não tinha ninguém que fosse referência para jogar. Desde pequena, quando eu vim para o Espírito Santo, eu via uma bola e já queria chutar. Sou de Fortaleza, mas nem tenho lembranças de lá. Tanto que sou mais capixaba do que cearense.

A jogadora Ana Débora viaja para o Rio de Janeiro neste domingo e, no início da próxima semana faz o teste no time feminino de base do Vasco, em Duque de Caxias.