7 maravilhas do mundo descobertas pelo Google Earth

Uma ilha giratória, a maior ponte natural do planeta e um esqueleto com mais de 2 milhões de anos. Estas são algumas das incríveis descobertas que as pessoas fizeram ao explorar o Google Earth.

Se você acredita que não existe mais nada neste mundo a ser descoberto, dê um giro pelo Google Earth. Esta moderna coleção de imagens via satélite permite a qualquer um explorar os tesouros do nosso planeta com apenas um computador e um mouse em mãos. 
Embora descobrir algo novo não seja uma tarefa fácil, desde o lançamento do Google Earth um punhado de pessoas realmente acabou encontrando maravilhas outrora escondidas na Natureza. Aqui vão as sete melhores descobertas.

1. Galáxias-Irmãs

  • Onde: Groenlândia 
  • Descoberto em: 2017 
  • Descoberto por: Sarah McNair-Landry, Erik Boomer e Ben Stookesberry
  • Coordenadas: 71.3183N 050.7094W / 71.3639N 051.0817W
Canoísta se aproxima de uma geleira na Groenlândia
A imensidão absoluta
Este emaranhado de correntezas semi-congeladas flutuando sobre a calota do Ártico se tornou o rio mais setentrional do planeta a ser remado em caiaque, graças à sua descoberta em imagens granuladas oferecidas pelo Google no extremo norte do mundo. Um trio de exploradores utilizou-se desta descoberta para realizar uma expedição, documentada no filme “Into Twin Galaxies“, que envolveu um belíssimo percurso de kite-ski (esqui com velas) sobre 1.000km pela calota da Groenlândia, para só então finalmente poderem remar seus caiaques sobre os ditos rios. Sarah McNair-Landry comentou: “O Google Maps é o principal motivo pelo qual encontramos estes rios, mesmo com a resolução horrorosa no norte, nós encontramos apenas imagens de agosto de 2012 e por isso havia muita coisa desconhecida por lá”.

2. Ilha giratória

  • Onde: Ojo de la Tierra, Delta do Paraná, Argentina
  • Descoberto em: 2016 
  • Descoberto por: Sergio Neuspiller, diretor e produtor cinematográfico
  • Coordenadas: 34°15’07.8″ S 58°49’47.4″ W

Esta misteriosa ilha flutuante, batizada de “El Ojo de la Tierra” (O Olho da Terra), está em constante movimento, girando num grande lago circular nos pampas argentinos. Ela foi descoberta quando um diretor de filme de terror estava à procura de uma locação. Uma visita ao lugar revelou que o gás metano que emerge do fundo da água é a provável razão desta ilha flutuar – embora ninguém sabe ao certo como ela tenha sido formada. 

3. Ponte das Fadas

  • Onde: Xianren, Região Autônoma de Guanxi, China
  • Descoberta em: 2010 
  • Descoberta por: Jay Wilbur, Natural Arch e Bridge Society (NABS) 
  • Coordenadas: 24°41’15.80″ N 106°47’59.94″ E
A Ponte das Fadas é o maior arco natural do planeta cujos 120 metros de extensão podem ser encontrados na China.
Ponte das Fadas, o maior arco natural do planeta
Este arco natural de 120 metros, o maior do mundo, localizado numa China remota, poderia ter permanecido desconhecido aos olhos do mundo se não fosse pelos olhos de lince e um verdadeiro trabalho de detetive do escalador americano  – e fanático por arcos – Jay Wilbur. Ele visualizou um arco em potencial que cruzava o rio Buliu numa pesquisa online e usou uma imagem Panoramio, postada por um fotógrafo local, para confirmar sua descoberta. Ele então levou uma equipe de sete pessoas numa viagem de três horas navegando rio abaixo para fazer sua medição. Acabou descobrindo que o tal do arco era 33,6 metros maior do que o antigo maior arco do mundo, localizado em Utah, nos Estados Unidos.

4. Floresta tropical escondida

  • Onde: Monte Mabu, Moçambique 
  • Descoberta em: 2005 
  • Descoberta por: Kew Royal Botanic Gardens, Reino Unido
  • Coordenadas: 16°17’52″S 36°23’39″E

No topo do remoto Monte Mabu e seus 1.700 metros de altitude, uma floresta tropical de 43km² é o lar de muitos animais anteriormente desconhecidos pela ciência, incluindo novas espécies de camaleão, cobras e borboletas. A floresta foi encontrada por um grupo de cientistas em busca de locais com potencial para preservação. Após uma série de viagens de reconhecimento, uma expedição de 2008 levou uma equipe internacional de 28 cientistas numa caminhada pela floresta.
Eles descobriram a maior floresta tropical em altitudes medianas na África, e ao fazê-lo acabaram salvando-a, uma vez que o governo moçambicano estabeleceu medidas protetivas anti-desmatamento na região.

5. Esqueletos históricos

  • Onde: Berço da Humanidade, Maropeng, África do Sul
  • Descoberto em: 2008 
  • Descoberto por: Professor Lee Berger, Universidade de Witswatersrand, África do Sul
  • Coordenadas: 25°53’42.0″S 27°48’05.0″E
Lee Berger ao lado de um esqueleto Australopithecus sediba
Lee Berger e o esqueleto Australopithecus sediba
O “Berço da Humanidade” é um cemitério para milhares de fósseis com dois milhões de anos, onde uma nova espécie de hominídeo, com cintura de Homem e “pés de macaco”, foi encontrado. Ao combinar imagens de satélite com sua pesquisa de 30 anos no local, o professor Berger acabou encontrando mais de 500 sítios arqueológicos. Num deles, ele e seu filho Matthew acabaram encontrando um esqueleto bem preservado de um garoto-hominídeo ao lado de outros três.

6. Cratera do Meteoro Kamil

  • Onde: Cratera Kamil, Egito
  • Descoberto em: 2008 
  • Descoberto por: Vincenzo de Michele, ex-curador do Civico Museo di Storia Naturale, Milão, Itália 
  • Coordenadas: 22°1’5.89″N 26°5’15.69″E
A cratera Kamil possui 45 metros de diâmtero e 3 metros de profundidado, tendo sido encontrada em 2008 no Egito.
A cratera Kamil foi descoberta somente em 2008
Esta cratera com 45 metros de diâmetro e 3 metros de altura, que ainda possui as linhas de explosão a partir de seu centro, é o sítio de pequeno impacto mais bem preservado no mundo. Ele é também 1 dos apenas 175 confirmados até hoje. Notado pela primeira vez em 2008 através do Google Earth, sua presença foi posteriormente confirmada com imagens de satélite de 1972. Uma visita ao local revelou se tratar de uma cratera rara em forma de raias, geralmente mais encontradas na superfície de Marte.
Os cientistas encontraram mais de 5.000 peças do meteorito de ferro e estimaram que o meteorito possuía cerca de 1,3m de comprimento, pesava entre 5-10 toneladas e atingiu a Terra numa velocidade de 3,5km por segundo (ou 12.000 km/h). Este tipo de impacto estatisticamente acontece a cada 10-100 anos e este daqui, cuja data oficial é estimada em 2.000 anos, permite aos cientistas conhecerem melhor os riscos que os ditos meteoritos impõem ao nosso planeta.

7. Ilha em forma de coração

  • Onde: Galesnjak, Arquipélago de Zadar, Croácia
  • Descoberto em: 2009 
  • Descoberto por: Desconhecido
  • Coordenadas: 443°58’41.24″N 15°23’1.14″E
Marco Waltenspiel, Amy Chmelecki e Marco Fuerst sobrevoam com seus wingsuits uma ilha próxima à Zadar, na Croácia, no dia 30 de Novembro de 2016
Voo de wingsuit sobre a Ilha Coração

A inabitada “Ilha dos Amantes”, na costa da Croácia, era relativamente desconhecida até que seu formato de coração foi observado no espaço virtual em 2009. Hoje é um destino romântico. Okay, é verdade que esta ilha fora cartografada em 1806 pelo exército de Napoleão, mas ele não tinha o poder de divulgar esta mensagem a bilhões de pessoas como o Google faz hoje. Os aventureiros da Red Bull, Marco WaltenspielAmy Chmelecki e Marco Fürst sobrevoaram-na com seus wingsuits em 2016.

Veja também