“Vai aumentar a violência”, diz Casagrande sobre facilitação do porte de armas

A declaração foi feita durante a solenidade de inauguração da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme)

Raissa Bravim e Marlon Max / Folha Vitória

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), se posicionou contrário à facilitação do acesso ao porte de armas para a população, bandeira defendida pelo presidente da república, Jair Bolsonaro. A declaração foi dada durante a solenidade de inauguração da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), em Vitória, na manhã desta quinta-feira (8).

“Já manifestei publicamente e reafirmo o equívoco do Governo Federal em liberar o acesso a armas. Isso vai aumentar o trabalho da polícia, vai aumentar a violência. Todas as pesquisas mostram que quanto maior o acesso, maior o risco. É por isso que a gente tem uma posição contra”, disse o governador.

Durante a solenidade, o governador ressaltou que há necessidades de liberação do porte de armas em casos determinados, mas voltou a reforçar o posicionamento do Governo do Estado, contrário a facilitação do acesso às armas para toda a população.

“Nós somos contra vulgarizar o acesso às armas […] eu até concordo que o porte, em algumas ocasiões, é importante, como em casos de proprietários de terra. Mas facilitar para que todos tenham acesso a arma, as pesquisas indicam que o expõe a pessoa ao maior risco contra sua vida”, completou.

Finalizando a fala, Casagrande sinalizou sobre os possíveis riscos do acesso ao porte de armas para civis e o impacto disso na segurança pública. “Nós precisamos ter clareza e consciência de que quem deve estar bem armado é a nossa polícia e não as pessoas que não foram treinadas para ter uma arma. Quanto mais você coloca armas nas mãos das pessoas, mais você terá possibilidade de arma sendo capturada para o mercado ilegal”, pontuou o governador.