Nascem primeiros filhotes de onças-pintadas em cativeiro no Espírito Santo

Os animais nasceram em um cativeiro do zoológico localizado em Marechal Floriano. A reprodução em cativeiro é considerada rara, já que é preciso que os animais estejam em ambiente adequado, livre de estresse e que o casal tenha afinidade. Os irmãos são filhos da onça-pintada Tupã e do macho Negão, que morreu antes do nascimento dos filhotes.

Negão, que era uma onça-preta, deixou sua genética bem reforçada, já que um dos filhotes é preto. Essa variação na pelagem é chamada de melanismo, que é o aumento concentrado e considerável de pigmentação preta, que ocorre por mutação genética em animais, no corpo inteiro.

Os filhotes nasceram no último dia 20 de junho, mas só agora estão sendo divulgados. O primeiro a nascer foi o pintado, e cerca de 20 minutos depois nasceu o preto. A gestação das onças dura de 90 a 110 dias. Os irmãos já passaram por avaliações de veterinários e estão adaptados ao zoológico.

Brincalhões, os filhotes estão sadios e já mostram seu lado feroz, um exemplo é que já começaram a comer carne moída. Na manhã desta sexta-feira (30), eles tomaram o primeiro banho, sob o olhar atento da mamãe onça, que chegou a retirar um dos filhotes da água. No Brasil, esse é o terceiro nascimento de onças-pintadas em cativeiro em 2019. Os outros foram em Goiânia (GO) e em Foz do Iguaçu (PR).

Os pequenos felinos foram avaliados pela equipe de profissionais do zoológico quando tinham 45 dias de vida. Na ocasião, já pesavam 3,9 e 4 quilos. Eles ainda não poderão ser vistos pelos visitantes do zoológico, já que por precaução, eles precisam estar maiores para não se estressarem com a presença de pessoas. Nos próximos dias, os visitantes do Zoo Park da Montanha poderão ver o dia a dia da mãe Tupã e os filhotes, por uma tela de TV. Ainda não se sabe quando o sistema estará disponível.

Com menos de cinco anos no zoológico, a mãe Tupã veio Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), do Exército, que fica em Manaus, capital do Amazonas. Já o Negão, pai dos filhotes, chegou ao zoológico vindo de Belém, no Pará.

Fonte: Folha do ES