Irmãos são mortos por policiais militares em Pedro Canário, Norte do Espírito Santo

Dois irmãos, de 31 e 35 anos, foram mortos por policiais militares, em Pedro Canário, no Norte do Espírito Santo, depois que a namorada de um deles denunciou violência doméstica. O caso aconteceu no sábado (10). Os policiais disseram que o homem resistiu à prisão. A Corregedoria da PM e a Polícia Civil investigam as mortes.

A família relata que a companheira de Luis Carlos Raiz, de 35 anos, ligou para polícia no Mercado Municipal e disse que tinha sido agredida por ele. A PM foi até lá e não encontrou o homem no local. Por isso, a mulher informou então que ele teria ido para casa, no assentamento Castro Alves, no interior do município.

Irmãos são assassinados por Polícia Militar em assentamento de Pedro Canário, no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Irmãos são assassinados por Polícia Militar em assentamento de Pedro Canário

Os policiais foram até a casa indicada pela mulher no assentamento e encontraram o suspeito, os pais dele e o irmão, Antônio Raiz, de 31 anos. Luis Carlos foi informado que teria que ir até a delegacia prestar esclarecimentos.

O pai das vítimas, Nilson Raiz, disse que o filho Antônio pediu aos policiais para acompanhar o irmão na delegacia, já que sofre Luis Carlos sofria de epilepsia. Os policiais negaram o pedido.

Sem acordo entre os irmãos e os PMs, Luis Carlos decidiu fugir da abordagem dos policiais. Os PMs foram atrás deles e fizeram um disparo para cima. Como ele não parou, os policiais deram dois disparos nas costas dele.

Família contesta versão da polícia sobre morte de irmãos, no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Família contesta versão da polícia sobre morte de irmãos, no ES

Vendo a situação, o irmão de Luis, Antônio, correu para ver o que tinha acontecido e também foi morto pelos policiais.

Já a PM, diz que os irmãos discutiram com os policiais e Luis Carlos resistiu a prisão. Para impedir a prisão, a Polícia Militar afirma que os dois entraram em luta corporal com os policiais.

Investigação

As armas dos policiais militares foram apreendidas e o caso será investigado pela Corregedoria da Polícia Militar.

A Polícia Civil também está investigando o caso.