Empresário de Nova Venécia acusado de golpes milionários é condenado por estelionato

Um empresário do setor cafeeiro de Nova Venécia, no Norte do Espírito Santo, foi condenado a quatro anos e dois meses de prisão e pagamento de multa de R$ 286 mil pela Justiça depois de ser denunciado pelo Ministério Público Estadual (MP-ES) por estelionato na compra e venda de café no município, entre os anos de 2007 e 2008.

O empresário Rômulo Fonseca foi acusado de praticar golpes milionários a produtores de café de Nova Venécia ao adquirir sacas do produto e não pagar os agricultores.

Uma das vítimas relatou que o empresário induziu os produtores ao erro, dando a entender que tinha uma empresa de grande porte, fazendo negociações a prazo sem honrar os compromissos depois.

Segundo esse produtor rural, quando o empresário se mudou para o município, em 2007, ele fazia negócios de compra de café a um preço atraente. Dessa forma, o golpista ganhou fama na região de que “pagava bem”.

Contudo, depois de ter a confiança dos produtores, ele começou a comprar sacas a prazo e em maior quantidade, e sumiu. Essa vítima teve aproximadamente R$ 1 milhão de prejuízo, com 5 mil sacas não pagas.

Além disso, o administrador judicial do processo de falência do empresário relatou que os dados da empresa estavam maquiados, não conseguindo localizar qualquer ativo.

Prisão

O empresário foi preso preventivamente em 28 de agosto de 2016 em Natal, Rio Grande do Norte, após fugir de Nova Venécia.

Condenado, ele vai cumprir inicialmente a pena em princípio semiaberto.

MPES

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES) disse que vai recorrer da decisão para tentar um aumento da pena do empresário.

Defesa

O advogado do empresário Rômulo Fonseca, Valcimar Pagotto, se limitou a dizer que o cliente vai recorrer da sentença.