Professora encontrada na BR-101, em São Mateus, foi morta pelo marido, aponta inquérito

O inquérito da Polícia Civil que investiga a morte da professora Regiane da Silva Pereira, de 40 anos, concluiu que o autor do crime foi o marido dela, Paulo Sérgio de Oliveira, que está preso desde maio. Ele foi indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe.

O crime aconteceu em maio deste ano, em São Mateus, no Norte do Espírito Santo. Regiane ficou desaparecida e depois o corpo dela foi encontrado às margens da BR-101, com marcas de estrangulamento.

As investigações apontaram que Paulo Sérgio matou a mulher dentro da casa onde o casal morava e abandonou o corpo na rodovia.

Paulo Sérgio chegou a ir ao velório e enterro da mulher. Ele sempre negou que matou Regiane, mas, segundo a polícia, houve contradição nos depoimentos dele à polícia.

O casal estava junto há oito anos, mas entrou em processo de separação, segundo familiares, Paulo Sérgio não aceitava o fim do relacionamento. O inquérito foi encaminhado à Justiça.

Polícia conclui que marido matou professora encontrada às margens da BR-101, em São Mateus

Polícia conclui que marido matou professora encontrada às margens da BR-101, em São Mateus

Contradições

Quando Regiane estava desaparecida, Paulo Sérgio contou que a tinha deixado em uma igreja e que depois não teve mais notícias dela. Porém, a irmã da vítima, Rosimar da Silva, contestou a versão dele, dizendo que Regiane não esteve na igreja naquele domingo.

“O pastor da igreja falou que ela não foi lá e as câmeras mostraram que ela não esteve lá em momento algum. Ela não aparece nem na esquina que ele disse que deixou ela”, contou Rosimar, na época.

Ainda em maio, o delegado responsável pela investigação disse que Paulo Sérgio demorou muito para avisar à polícia que a mulher estava desaparecida e ainda foi trabalhar normalmente. Desde então, ele está preso preventivamente pelo crime.

Marido da professora Regiane da Silva Pereira, Paulo Sérgio, foi indiciado pelo homicídio — Foto: Reprodução/ TV Gazeta
Marido da professora Regiane da Silva Pereira, Paulo Sérgio, foi indiciado pelo homicídio — Foto: Reprodução/ TV Gazeta