Prédio da Câmara de Barra de São Francisco passa a ser denominado Sede Legislativa Juvenal Calixto Teixeira

Na sessão legislativa ocorrida na segunda-feira dia 20, o plenário da Câmara Municipal de Barra de São Francisco, apreciou e votou diversas matérias que integraram a extensa pauta. Entre os projetos apresentados, um deles mereceu destaque quanto ao  parecer favorável ao Projeto de Resolução nº 004, de autoria do vereador Huander Cleidy Cardoso de Souza – Bofe (PSB), que denomina o Prédio da Câmara Municipal de “Sede Legislativa Juvenal Calixto Teixeira”, sendo aprovado por unanimidade pelos parlamentares presentes naquela sessão.

A denominação dada a sede do Poder Legislativo Municipal, é uma homenagem a um homem público que muito contribuiu para o desenvolvimento de Barra de São Francisco e de Água Doce do Norte principalmente quando esta última localidade, ainda pertencia ao território do município francisquense. Juvenal Calixto Teixeira exerceu os cargos de vereador e de vice-prefeito, chegando a comandar a Prefeitura Municipal francisquense na década de 60. A justa homenagem, emocionou o atual presidente do Legislativo, e filho do homenageado que herdou o nome do pai, Juvenal Calixto.

Quem foi Juvenal Calixto Teixeira

Nascido na mineira cidade de Aimorés, na localidade de Penha do Capim, aos 17 de fevereiro de 1925, Juvenal Calixto não era apenas um grande homem em sua estatura, mas também pelos seus atos praticados.  Filho do casal Roldão Furtado da Silva e de Mariana de Jesus Calixto, veio para a região noroeste do Espírito Santo, casou-se em 20 de setembro de 1956, com Ormy Soares de Souza  com quem teve oito filhos,  vindo inicialmente a se estabelecer na localidade de Santo Agostinho, pertencente ao então distrito francisquense de Água Doce do Norte.

Como exímio comerciante, seus empreendimentos diversificados como na compra de grãos e animais, o levaram ao ramo comercial de secos e molhados, destacando-se entre outros os setores de confecções e armarinhos.

Vereador

Filiado a legenda do PSD, obteve 352 votos na eleição de 1962, diplomado naquele mesmo ano pela 23ª Zona Eleitoral, exercendo o cargo parlamentar de 31 de janeiro de 1963 a 31 de janeiro de 1967.  Como vereador, foi autor de diversos serviços e obras para comunidade de Santo Onofre, Santo Agostinho e Córrego Azul, localidades pertencentes ao então distrito de Água Doce do Norte.

No Legislativo francisquense, foi levado a assumir o cargo de Presidente, assinando inicialmente a Lei 006/65 onde decretava a concessão de diversos títulos de cidadania entre outros.

Foi membro do diretório do antigo MDB e PDS e sempre lembrado para a composição de chapas de sindicatos e outras do segmento organizado.

Nesta foto histórica na década de 60, o vice-prefeito Juvenal Calixto, ao lado dos vereadores Donato Fidelis de Miranda (presidente), prefeito Joaquim Alves, Eduarte Prado (vice-presidente), Eduvirge Ferreira (secretário), Osmar Sathler, Levi Lima, Alvino Filismino, Luis Cardoso, Alair Costa

Vice-prefeito e Prefeito em exercício

Em 1967, disputou as eleições municipais, desta vez compondo a chapa do prefeito Joaquim Alves de Souza, sendo seu vice-prefeito. Neste período, passados alguns meses, a imprensa da capital, através do jornal A Gazeta, estampou na primeira página, a ascensão de Juvenal Calixto Teixeira assumindo o posto de chefia do Executivo Municipal. O ato aconteceu por força da licença requerida pelo titular, prefeito Joaquim Alves.

Segundo a publicação, Juvenal mereceu destaque especial pelo sentido calmo com que dirigiu o município, procurando não fugir a linha administrativa traçada pelo titular, mas ao mesmo tempo implantando um plano de trabalho a curto prazo, vindo de encontro as necessidades da população.

Para relembrar o fato, no ano de 1970, o então presidente da Câmara Municipal, vereador Hugo de Vargas Fortes, comunicava ao então vice-prefeito Juvenal, exatamente no dia 30 de maio daquele ano, que ele deveria comparecer a uma reunião legislativa onde deveria tomar posse como prefeito, por força do titular Joaquim Alves, se encontrar à disposição do Juizado de Direito da Vara Criminal de Vila Velha, devido sua prisão preventiva decretada.

Sua dedicação ao cargo público foi imensurável a ponto de ceder em várias ocasiões, parte de seus imóveis para o bem da coletividade. Destaca-se neste sentido, oficio encaminhado pela Prefeitura Municipal de Ecoporanga, datada de 25 de junho do ano de 1969, onde o então prefeito Tolentino Xavier Ribeiro, acusa o recebimento de uma correspondência do colega prefeito francisquense, solicitando que a municipalidade ecoporanguense, construísse uma escola em parte da propriedade pertencente a Juvenal Calixto.

Vila Nelita

Foi subdelegado da comunidade de Vila Nelita, hoje Santo Agostinho – Água Doce do Norte, função a ele atribuída em 1983. O amor por aquela localidade foi tanto que no inicio quando tomava adquiriu áreas agrícolas na região, como vereador logo apresentava projeto de resolução no sentido de emancipar o distrito, desmembrando-o do município de Barra de São Francisco.

Barra de São Francisco

Uma de suas últimas contribuições na vida pública, ocorreu em 1996, quando o prefeito José Lauer, o nomeou Assessor Especial para assuntos da Agricultura e do Meio Ambiente, em cargo comissionado. Nos últimos anos de vida, Juvenal Calixto ainda pode ver seu filho com o qual lhe deu o mesmo nome, vir a se tornar vereador assim como ele. Faleceu em 26 de abril de 2012 deixando um legado de honradez, lealdade e exemplo de homem justo em todos os seus aspectos.

ASCOMCMBSF