Casos de clonagem de mensagens de WhatsApp por estelionatários, que usam o aplicativo para aplicar golpes, têm se tornado frequentes. A Polícia Civil informou que uma vítima é enganada por dia no Espírito Santo.

O golpe funciona assim: os criminosos se passam pela pessoa que teve a conta invadida para pedir dinheiro emprestado a conhecidos dela, convencendo-os a fazer depósitos bancários.

Um jovem, que pediu para não ser identificado, disse que recebeu uma mensagem no aplicativo, de um número de DDD 11, onde no perfil do contato havia uma foto com a logomarca da empresa onde ele tinha feito o anúncio de um veículo.

Tudo começou quando fiz o anúncio de um carro em um aplicativo muito conhecido e de repente, um minuto depois, recebi uma mensagem no Whatsapp. Essa mensagem pedia para eu confirmar se eu queria de fato prosseguir com o anúncio no site. Para prosseguir eu tinha que confirmar um código que receberia por SMS. Não sabia que aquele código estava dando direito a ele a acessar meu Whatsapp“, lamentou.

Jovem foi vítima de criminoso ao passar código de acesso — Foto: Reprodução/TV Gazeta
Jovem foi vítima de criminoso ao passar código de acesso

Pouco tempo depois de passar o código, o jovem já tinha perdido o controle sobre a própria conta do WhatsApp. O criminoso já tinha acessado os contatos dele, inclusive de uma amiga de trabalho, que acabou lesada financeiramente.

A pessoa que cometeu o golpe era muito convincente, tanto que uma pessoa do meu trabalho, que é uma amiga minha, transferiu 500 reais para essa conta pensando que era eu. Ela nem duvidou. Depois tive que explicar que tive o Whatsapp hackeado“, falou o jovem.

Com a certeza que teve seu WhatsApp clonado, a vítima procurou a Polícia Civil para registrar a ocorrência, para que o caso seja investigado.

Delegado faz alerta

É importante não transferir dinheiro para terceiros antes de falar diretamente com a pessoa — Foto: Reprodução/TV Gazeta
É importante não transferir dinheiro para terceiros antes de falar diretamente com a pessoa

De acordo com o delegado Breno Andrade, da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, em caso de pedidos de empréstimo, as vítimas precisam ficar atentas antes de transferir dinheiro para contas de terceiros.

Desconfie sempre. Geralmente essas grandes empresas não entram em contato com os anunciantes por aplicativo, então, se tiver alguma dúvida, procure os canais oficiais dessas empresas na internet“, alertou.

Segundo o delegado, além do aplicativo de mensagens, também há casos de linhas telefônicas roubadas. Breno Andrade aponta que funcionários de lojas de operadoras de celular habilitam as linhas em outros chips para conseguir informações sobre os donos das contas.

A gente tem também casos em que o chip é desabilitado na linha da vítima e habilitado na linha do criminoso. Nesse caso a vítima perde totalmente o acesso a seu aparelho. Em alguns casos há participação de funcionários que participam da quadrilha para a prática do golpe.”

Com isso, o criminoso toma posse não somente da linha telefônica, mas das redes sociais e dos aplicativos de mensagens dela.

Dica de segurança

O delegado Breno Andrade ressaltou que o Whatsapp tem sistema de segurança, com verificação em duas etapas, para impedir o acesso de terceiros. Siga o passo a passo:

  • Abra o aplicativo e vá até a aba “Configurações” (no Android) ou “Ajuste” (iOS);
  • Escolha o item “Conta”;
  • Selecione “Verificação em duas etapas”;
  • Clique em “Ativar”.

A partir do momento que a vítima envia esse código para esse criminoso, o Whatsapp dela é habilitado em outro celular e ela perde o acesso. O criminoso, então, começa a se passar por ela e passa a exigir uma quantia financeira inventando qualquer desculpa“, concluiu o delegado.