Futuro político de Barra de São Francisco nas mãos de Firmino

O policial militar Marcelo Firmino, talvez não saiba, mas tem nas mãos o futuro político de Barra de São Francisco.

Apesar de ser decidido na urna, por eleitores, o futuro político do município durante anos ficou nas mãos de dois grupos políticos da cidade, que iniciavam movimentações, definiam estratégias, escolhiam e definiam nomes e, deixavam poucas escolhas para o eleitor, que muitas vezes teve que escolher um ruim em detrimento do pior.

Marcel Firmino ganhou da população o difícil dever de mudar a política no município. Recebeu isso da população no momento em que se lançou candidato a deputado estadual em 2018.

Marcelo Firmino teve, somente em Barra de São Francisco, 6.218 votos. Foi a primeira vez que ele se candidatou e com poucos recursos, principalmente financeiros. Só para se ter uma ideia, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), candidato a reeleição, teve 6.775 votos. O ex-prefeito e ex-deputado Luciano Pereira (Avante), teve 3.164 votos.

Mas engana-se quem pensa que a força de Marcelo Firmino no município limita-se ao número de votos que ele teve. A votação foi expressiva, principalmente se comparada à votação dos caciques, mas ela é só um detalhe.

Ao ser candidato em 2018, na mesma eleição em que os dois principais grupos políticos lançaram seus líderes como candidato, Marcelo Firmino passou uma mensagem de independência à população francisquense.

Firmino representou naquele momento os eleitores que não queriam votar em dos Anjos e em Pereira. Representou quem se decidiu por novos rumos para a política local. Representa hoje o novo. Com esse perfil, Firmino chega em 2020 com o poder de definir o cenário político para a eleição de outubro. Mas não será fácil.

O primeiro desafio de Firmino será resistir às investidas dos dois grupos. Essas investidas podem ser para que ele seja candidato, com apoio, ou, até mesmo, para que ele não seja candidato.

Caso seja candidato com algum dos grupos antigos, Firmino joga na lata de lixo a mensagem de independência deixada em 2018.

Caso decida ser candidato independente, Firmino terá – baseado no resultado da eleição de 2018 – apoio de muita gente na cidade. Porém, terá que enfrentar a força dos dois grupos juntos. Para ter uma ideia do que enfrentaria, ele pode conversar com o quase prefeito em 2000, Check Parafusos.

Se decidir não ser candidato, Firmino, para não perder seu recente e ainda volátil capital político, terá que ter uma boa justificativa para os eleitores, já que muitos esperam que ele seja candidato.

Mesmo que não seja candidato a prefeito, o lado que ele apoiar vai refletir não só na eleição municipal, mas na próxima eleição para deputado, que é realmente o objetivo dele.

Independente da decisão de Firmino, este ano o fato diferente é que o futuro político está nas mãos dele e não dos grupos. Nenhum dos grupos tomará decisão, nenhum grupo dará um passo, antes da decisão de Firmino, pois correm o risco de ter que voltar atrás na decisão ou serem engolidos pelo “mito francisquense”.

Leia também

Empresário Rodrigo Turini pode ser prefeito de Barra de São Francisco em 2022

Após especulações, Firmino nega ser candidato a vice e dá sinais que pode ser candidato a prefeito

Enivaldo dos Anjos fica em 1º, Firmino em 2º e Luciano em 3º na votação em Barra de São Francisco

Veja mais sobre Marcelo Firmino