O fisioterapeuta, Ronaldy Conta, de 27 anos, denunciou a ex-namorada depois que ela distribuiu panfletos dizendo que ele oferecia serviços de garoto de programa para homens. Os ataques começaram no final do ano passado. A mulher foi indiciada por crime contra a dignidade sexual.

Os surtos saíram das redes sociais e entraram na vida real. A mulher vazou fotos íntimas do rapaz em um grupo de aplicativos de mensagem, dizendo que ele fazia programa. Já na segunda vez, ela fez anúncios em sites de encontros, se passando pelo Ronaldy, inclusive colocando dados pessoais, como telefone e endereço.

No último ataque, em março deste ano, a ex-namorada foi na porta do serviço do rapaz e de antigos lugares que ele trabalhou, para distribuir panfletos dizendo que ele fazia programa com homens.

Segundo a versão apresentada por Ronaldy, a relação acabou por conta do ciúme possessivo da ex-namorada que começou a persegui-lo, após o fim do namoro. “No começo ela me perseguia em redes sociais, mandava mensagem para meus amigos falando besteira. Depois, tudo começou a ficar mais complicado”, disse.

Nas primeiras vezes, Ronaldy apenas ignorou os ataques, mas resolveu denunciar na última vez. O delegado Fabio Pedroto, responsável pelo caso, afirmou que a investigação comprovou a culpa da ex-namorada. “Reunimos elementos, como a confissão parcial dela. Concluímos o inquérito com o indiciamento desta mulher, em um crime bem recente que condena a exposição de imagens de nudez sem autorização”, explicou.

Procurada pela equipe de reportagem da TV Vitória, a mulher negou todas as acusações. Para a vítima, é preciso agir desde o início e não permitir que esse tipo de violência perca o controle. “É preciso tomar providenciar e procurar ajuda na Justiça logo na primeira vez, para que não aconteça pior”, afirmou Ronaldy.

Fonte: TV Vitória