Brasileira que vai virar filme falsificou diploma de Harvard

O Estadão descobriu que a cientista brasileira Joana d’Arc Félix de Sousa, de 55 anos, declara uma formação em Harvard que não possui e usou um diploma falso para sustentar a informação.

Joana seria interpretada no cinema pela atriz Taís Araújo, que declinou do papel.

A cientista também afirmava em entrevistas e palestras que entrou na faculdade aos 14 anos –o que, segundo o jornal, ela agora reconhece não ser verdade.

Veja também

Mais de 30 prefeituras da região podem ter contratado professores que compraram diplomas; veja a lista

Ministério Público tem a lista de 4 mil pessoas que compraram diplomas falsos no Espírito Santo

Após uma entrevista do Estadão com Joana, a professora enviou ao jornal um diploma com o brasão de Harvard e o título de “pós-doutora em química orgânica”. O Estadão encaminhou o documento à universidade americana, que negou tê-lo emitido –Harvard não tem diploma de pós-doutorado.

Contatado, um dos professores de Harvard que assinam o diploma, Richard Hadley Holm, disse que a assinatura dele era falsa e que ele nunca havia ouvido falar da “professora Sousa”.

Só depois de ser confrontada pelo jornal, Joana –que tem mestrado e doutorado em química pela Unicamp– admitiu que o diploma era falso e alegou que ele fora produzido para uma “encenação de teatro”.

“As meninas mandaram junto quando o jornalista me pediu documentos. Eu pensei: tenho que contar isso para o jornalista, mas não falei mais com ele.”