Animais perdidos em área urbana, debilitados por envenenamento, caça, atropelamento, armadilha, entre outras situações de perigo são recuperados e reintroduzidos na mata pelos funcionários do Parque Estadual Pedra Azul (Pepaz), em Domingos Martins. Em parceria com a Polícia Ambiental e a população, o trabalho de resgate de animais silvestres integra órgãos e parceiros para ações de fiscalização e autuações de crime ambiental.

Embora a maior parte dos animais silvestres encontrados no espaço urbano não ofereça risco para a população, uma abordagem inadequada pode deixar o bicho estressado e resultar em acidentes. O Pepaz conta com uma estrutura mínima para recebimento de fauna e conta com a ajuda da população na entrega desses animais.

Além da rotina intensa de resgate de pequenos pássaros, no Parque há registros de atendimento de diferentes espécies, como preguiça, cachorro do mato, tamanduá, coruja, gavião, tatu, lontra, gato do mato, guaxinim, ouriço-cacheiro, siriema, paca, macaco, serpentes, gambá, veado e outros.

Trabalho voluntário

Com a parceria da Polícia Ambiental muitos animais são recuperados e reintroduzidos na mata. Para os que necessitam de cuidados veterinários, o Pepaz conta com o trabalho voluntário de profissionais parceiros da região.

Os animais silvestres são protegidos por lei, havendo necessidade de autorização do órgão ambiental – o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) – para resgate. O protocolo consiste na ida da Polícia Ambiental ao local para realizar uma remoção para área de mata ou um centro de tratamento.

Quando não é possível a reintrodução imediata, os animais são entregues aos cuidados de centros especializados localizados na Grande Vitória. Infelizmente, alguns animais vão a óbito durante o trajeto. Por isso, o Iema reforça a importância das parcerias locais com o Parque para atendimento e recuperação no local, evitando o deslocamento.

Alguns números de atendimento:

– Gaiolas apreendidas ao mês (em média): 20 unidades
– Armadilhas apreendidas: Uma arataca no mês de março deste ano.

– Pássaros apreendidos e entregues aos cuidados do Pepaz: 20 aves em média por mês.

– Fiscalização mensal: Em média, duas vistorias para atendimento de denúncias e demandas emergenciais.