Detentor do maior polo industrial de processamento de rochas ornamentais da América Latina, o Espírito Santo conta, desde fevereiro, com um laboratório de caracterização de mármore e granito. O espaço funciona no Senai do bairro Araçás, em Vila Velha, e era uma demanda antiga do segmento.

Antes da inauguração do laboratório, a análise dessas rochas ornamentais eram feitas nas estados da Bahia, Minas Gerais e São Paulo.

O gerente de tecnologia do Senai, Edglei Marques, disse que o local é um importante ganho para o setor e para a economia do estado.

“Esse laboratório realiza ensaios físico-químicos que analisam a resistência das rochas. O laboratório aqui no estado faz com que o custo de produção seja menor e isso aumenta a competitividade da indústria e isso reflete no aumento da produção e dos postos de trabalho”, conta Marques.

Com a comprovação da qualidade da rocha extraída no Espírito Santo, o gerente explica que é mais fácil de exportar esse material.

Laboratório testa qualidade de rocha produzida no ES  — Foto: Rperodução/ TV Gazeta
Laboratório testa qualidade de rocha produzida no ES — Foto: Rperodução

Laboratório

O local é formado por um conjunto de equipamentos e dispositivos necessários à realização dos testes, conforme a prescrição da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Entre o conjunto de ensaios realizados estão testes para verificação das resistências dos materiais, densidade, porosidade e absorção de água.

Os laudos emitidos pelo laboratório atestam sobre o uso das rochas analisadas para revestimento em obras de construção civil.

Laboratório testa qualidade de rocha produzida no ES  — Foto: Reprodução/ TV Gazeta
Laboratório testa qualidade de rocha produzida no ES

As rochas são podem ser coletadas em outros Senais do estado e encaminhados para Vila Velha para análise. Após a verificação do material, ele é devolvido junto com a análise para o Senai de origem.