Ministério Público tem a lista de 4 mil pessoas que compraram diplomas falsos no Espírito Santo

Uma lista com mais mais 4 mil nomes de pessoas que compraram diplomas falsos no Norte do Espírito Santo foi encaminhada pelo Ministério Público do Estado (MPES) à Secretaria Estadual de Educação (Sedu) e as Secretarias Municipais.

O MPES afirma que essas pessoas, de algum modo, receberam diploma de graduação, pós-graduação e de cursos livres de forma irregular.

A lista foi obtida após colaboração premiada, envolvendo investigados nas diferentes fases da Operação “Mestre Oculto”, que investiga um esquema criminoso de obtenção de diplomas de curso superior, visando especialmente à nomeação em cargos públicos.

Caberá à Sedu e às prefeituras apurarem a situação individual dos nomes que estão listados para esclarecer se o documento utilizado era ou não produto de fraude, e buscar junto ao MPES ou à Polícia Civil a responsabilização dos fraudadores.

Eles poderão responder por crime de falsidade e até por ato de improbidade administrativa.

Denúncias

As investigações envolvendo as duas primeiras fases da Mestre Oculto avançaram e se desdobraram nas operações “Estória”, “Viúva Negra” e “Lato Sensu”, todas deflagradas pelo MPES.

Donos de instituições de ensino localizadas no Norte do Estado foram presos, além de pessoas ligadas ao esquema criminoso de compra e venda de diplomas e certificados.

A última prisão ocorreu no dia 11 de abril deste ano, na Operação “Lato Sensu”, realizada em São Mateus. Um professor e coordenador de curso de pós-graduação de um instituto de educação da cidade foi preso preventivamente.