O estudante Bruno Henrique Arruda de Oliveira, de 12 anos, virou uma celebridade em Casa Branca (SP) após a Igreja Católica reconhecer que ele recebeu um milagre do padre Donizetti Tavares de Lima. Moradores e colegas de escola ficaram emocionados quando souberam que ele foi curado de uma deformidade conhecida como pé torto congênito bilateral.

Na segunda (9), uma cerimônia em Tambaú, cidade onde o religioso ficou conhecido, anunciou que o padre será beatificado no segundo semestre.

Padre Donizetti Tavares de Lima nasceu em Cássia (MG) em 3 de janeiro de 1882 — Foto: Reprodução/EPTV
Padre Donizetti Tavares de Lima nasceu em Cássia (MG) em 3 de janeiro de 1882 — Foto: Reprodução/EPTV

Gratidão

O menino falou sobre o milagre em uma das rádios de Casa Branca, onde mora.

“Uma palavra que representa muito para mim é gratidão. Minha vida desde pequeno foi mudada. Uma felicidade inexplicável, muito grande no meu coração”, disse.

A mãe, Margarete Rosilene Arruda de Oliveira, contou que o filho não conseguia ficar em pé e que as pernas eram até arqueadas. Ela implorou pela intercessão do sacerdote e disse que de um dia pro outro tudo mudou.

A mãe, Margarete Rosilene Arruda de Oliveira, comemorou o reconhecimento do milagre do padre em Tambaú — Foto: Wilson Aiello/EPTV
A mãe, Margarete Rosilene Arruda de Oliveira, comemorou o reconhecimento do milagre do padre em Tambaú — Foto: Wilson Aiello/EPTV

“Diante daquela situação difícil eu pensei: talvez se eu pedir para Nossa Senhora e para Jesus, como pecadora que eu sou, talvez eu não consiga. Eu vou pedir para que o padre Donizetti peça porque eu sei que para ele eles não vão negar. Eu implorei para ele e no outro dia o meu filho estava curado”, afirmou.

Processo de beatificação

O milagre do padre foi reconhecido pelo Papa Francisco e o processo de beatificação começou em 1992. Foram reunidos documentos e provas de tudo o que aconteceu.

Agora só falta a cerimônia oficial, que deve ser feita no segundo semestre, mas desde já ele é considerado pelos fiéis um beato.

Bruno Henrique de Oliveira sofria de pé torto congênito bilateral e foi curado por padre Donizetti — Foto: Wilson Aiello/EPTV
Bruno Henrique de Oliveira sofria de pé torto congênito bilateral e foi curado por padre Donizetti — Foto: Wilson Aiello/EPTV

Para ser canonizado, ou seja, ser considerado santo, mais um milagre deve ser reconhecido pela igreja.

Emoção em escola

Na escola onde o menino estuda há 2 anos, os amigos da sala de aula ficaram comovidos com a história e sentem orgulho da amizade com Bruno.

“O Bruno é uma pessoa muito legal e engraçado, também é muito prestativo e ajuda muito as pessoas”, disse a estudante Sofia Keren da Silva.

Bruno virou celebridade em Casa Branca após anúncio de milagre do padre Donizetti em Tambaú — Foto: Wilson Aiello/EPTV
Bruno virou celebridade em Casa Branca após anúncio de milagre do padre Donizetti em Tambaú — Foto: Wilson Aiello/EPTV

“Ele tem colegas que o seguem, gostam de ouvir os seus conselhos, as suas histórias. Hoje ele ficou uns 20 minutos falando o que aconteceu. Os alunos ficaram atentos e gostaram de ouvir”, disse a professora Cristina Malaquias.

“Ter uma pessoa que foi curada por ele em Casa Branca é emocionante”, disse a dona de casa Sandra Lavoura.

Trajetória

O padre Donizetti nasceu em Cássia (MG), em 3 de janeiro de 1882, foi ordenado padre em 1908 e morou os últimos 35 anos de sua vida em Tambaú, até falecer em 16 de junho de 1961, aos 79 anos.

Filho de um advogado e de uma professora, ele era de uma família abastada, mas largou tudo pelo sacerdócio. Padre Donizetti viveu por 35 anos em Tambaú e na década de 50 começaram os relatos de milagres que continuam até hoje.

Processo de beatificação do padre Donizetti é analisado pelo Vaticano  — Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV
Processo de beatificação do padre Donizetti é analisado pelo Vaticano — Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV

A fama de santo veio ainda em vida. Na época, Tambaú tinha 4,5 mil habitantes (hoje são mais de 23 mil). Há relatos que em um único dia outros 200 mil romeiros estiveram na cidade em busca de graças. A situação começou a ficar perigosa e esse foi um dos motivos para que as benções chegassem ao fim.

Na década de 1990, começou uma pesquisa sobre a vida, virtude e fama de santidade do padre. Em 2017, a Congregação para a Causa dos Santos concedeu ao padre o título de venerável. Com isso, ele pode ser oficialmente adorado dentro das igrejas.