Mais de 4 mil pessoas esperam análise de benefícios do INSS só no Espírito Santo

Por Fabíola de Paula, TV Gazeta

Mais de 4 mil pessoas esperam pela liberação do pagamento de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Espírito Santo. A falta de funcionários, segundo a autarquia, é a principal responsável pela demora na concessão, que, em alguns casos, supera os nove meses.

A dona de casa Aureníva Roveta Massarioli deu entrada no pedido de pensão pela morte do marido no fim de outubro do ano passado. Desde então, ela junta os números de protocolos, de tanto ligar para o INSS.

Sem renda, ela se alimenta na casa da mãe e com dinheiro que pega emprestado com amigos.

“Eu ligo e eles dizem que está em análise, mas já tem nove meses. Eu não tenho um tostão, dinheiro para nada. Estou ficando doente e já emagreci sete quilos”, contou a idosa.

Beneficiária acumula números de protocolos de atendimento, no ES  — Foto: Carlos Palito/ TV Gazeta
Beneficiária acumula números de protocolos de atendimento, no ES — Foto: Carlos Palito/ TV Gazeta

A mãe do morador Emerson Alves Bermudes espera pela pensão de morte do marido desde o ano passado. Para conseguir pagar as contas atrasadas da mãe, o filho pediu demissão trabalho para usar o dinheiro da rescisão.

“No dia 3 de dezembro, quando demos entrada e disseram que a documentação estava toda certinha, o atendente disse que minha mãe tinha de 30 a 45 dias para receber o benefício. A gente tem ligado sempre e dizem que o processo está em análise. Nesse mês, um atendente disse que estão dando prioridade para os meses 7 e 8 do ano passado. Ou seja, o de vocês, só deve sair em novembro ou dezembro deste ano. Eu saí de lá em pânico”.

Agora, o dinheiro acabou e ele e a mãe vivem de parcelas do seguro desemprego. “O INSS não está cumprindo a função dele. O meu pai, quando vivo, cumpriu com as obrigações dele. É direito da minha mãe receber”, relata.

INSS

O INSS informou que não há servidores suficientes para analisar todos os pedidos. Isso porque muitos se aposentaram ou estão quase se aposentando. O Instituto disse que está criando formas para agilizar os trabalhos de análise e aumentando o número de funcionários que vão trabalhar exclusivamente nos pedidos de benefícios.

O Instituto informou ainda que essa forças-tarefas têm contribuído para reduzir o estoque de requerimentos pendente de análise. Mesmo assim, no estado existem 4.138 processos atrasados.

Sobre os casos citados na matéria, o INSS disse que reconhece a demora na concessão das pensões e afirmou que o ideal é de que o benefício seja concedido até 45 dias depois de protocolado. Porém, a demanda é maior que o número de funcionários que fazem a análise. O INSS informou que, se a documentação estiver correta, os benefícios serão concedidos ainda este mês.

Salário-maternidade

A demora na concessão de benefícios do INSS não é só nos casos de pensão. Em fevereiro deste ano, dos mais 4 mil processos em análise, mais de três mil mães trabalhadoras estavam sem receber o salário-maternidade no Espírito Santo.