Festa em motel envolvendo petista quase termina em morte

Relato feito pela revista Veja em seu site dá conta de que cinco pessoas, entre elas um membro relevante do PT de Brasília, Domingos Sávio Lacerda Martins, se envolveram em uma festa em motel de Brasília que terminou mal.

A festa teria ocorrido no Altana Motel, 15 quilômetros distante da Esplanada dos Ministérios. De acordo com o relato da Veja, a festa envolvendo o assessor do líder petista terminou em uma tentativa de homicídio.

De acordo com a Polícia Civil, o registro da ocorrência aconteceu ainda no sábado (13) de manhã. Foram chamados policiais militares no motel para averiguar o que perceberam ser uma agressão com garrafa quebrada.

Os relatos dos policiais dão conta de que havia marcas de sangue no chão do quarto. À Veja, uma vítima que foi identificada apenas como V.M., de 23 anos, afirmou que a primeira versão divulgada tratava a festa como uma ‘orgia’. Ela, no entanto, desmente.

“Não foi orgia, foi farra. fomos lá para comer, beber, nadar, pegar uma hidromassagem e se divertir, falar mal da vida dos outros. Ninguém pegou ninguém”, afirma a vítima à Veja.

Segundo a vítima, Domingos Sávio pegou a garrafa e a agrediu pelo fato de ela querer ir embora do que chamou de “farra”.

“Levei uns 30 pontos no rosto. Em nenhum momento pensei que ele ia me agredir com as garrafadas, ele é um cara super gente boa”, contou à Veja.

Líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta, afirmou, também à Veja, que vai exonerar o funcionário: “Não posso ter na liderança da bancada uma pessoa nessas condições. É incompatível”, disse ele.

Domingos ocupa cargo de natureza especial (CNE-15) e recebe mensalmente R$ 3.664,79.