Suspeito de vender dinheiro falso pela internet é preso pela Federal no Espírito Santo

Um homem suspeito de vender dinheiro falso em redes sociais foi preso na manhã desta quarta-feira (13) pela Polícia Federal do Espírito Santo (PF-ES), em Cachoeiro de Itapemirim, na região Sul do estado. Ele já tinha sido preso antes pelo mesmo crime, mas respondia em liberdade.

A Polícia Federal tenta descobrir para quem esse dinheiro era vendido e também quem fabricava as cédulas. Procurada, não informou por quanto essas cédulas eram comercializadas.

Na operação, batizada de Big Jhow, a PF cumpriu um mandado de prisão preventiva e um de busca em Cachoeiro de Itapemirim e outro mandado de busca em Ponta Porã (MG).

De acordo com a investigação, o suspeito comercializava o dinheiro falso em redes sociais como o Facebook, e aplicativos como Whatsapp.

No local onde onde foi cumprido o mandado de busca, foram colhidos vários elementos que indicam que, mesmo após ser solto sob liberdade provisória, e respondendo a ação penal, o investigado continuava comercializando o dinheiro falso.

Os policiais apreenderam com ele documentos e equipamentos de informática. A investigação tenta descobrir ainda a identidade de todos os que compraram essas cédulas falsas e também quem fabricava esse dinheiro.

O homem responderá pelo crime de comercialização de dinheiro falsificado, previsto na lei 289 do Código Penal. O crime tem pena prevista de 3 a 12 anos de prisão. Não há informação para qual presídio ele foi levado.

Nome da operação

A operação foi batizada de Big Jhow porque, segundo a PF, esse era o pseudônimo que o investigado usava para que o principal investigado utilizava nas redes sociais para anunciar a venda do dinheiro falso.