Sindicato recebe denúncias de assédio moral na Assembleia Legislativa do Espírito Santo

O Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa (Sindilegis) lançou uma campanha para combater o assédio moral de quem ocupa cargo de chefia e de autoridade. Em uma semana de campanha, o sindicato já recebeu três denúncias de servidoras, segundo o presidente do Sindilegis, Gildo Gomes, que disponibilizou um número de WhatsApp para o atendimento.

Nós lançamos a campanha depois de um caso de uma servidora que veio nos procurar, e também porque é uma campanha nacional. Os dados são mantidos em sigilo e serão levados à presidência da Assembleia, sem expor as vítimas, apenas o problema e o causador do assédio”.

Questionado sobre quem seriam os alvos das denúncias, se eram deputados ou diretores, Gildo disse apenas que são homens em “posto de autoridade”. “Uma delas foi ameaçada de demissão caso não fizesse algo para o qual não foi contratada para fazer. Não queremos que isso ocorra”. Na Ales há cerca de 1.400 servidores, entre efetivos e comissionados.