Dólares foram transportados pela Lufthansa Cargo — Foto: Reprodução / EPTV

O roubo de 5 milhões de dólares no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), completa um ano nesta segunda-feira (4) sem respostas da Polícia Federal sobre quem participou do crime e onde está o dinheiro. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) destaca que fez recomendações à concessionária do terminal, a qual admite “diversas alterações” na segurança.

A reportagem questionou se a PF identificou suspeitos e se parte dos valores foi recuperada após o crime, mas a assessoria da instituição se limitou a informar que “as apurações seguem sob sigilo”. O Ministério Público Federal (MPF) destacou que acompanha o caso, mas sem revelar detalhes.

À época, um grupo com ao menos cinco homens armados com fuzis invadiu a área de cargas do aeroporto para levar os dólares, além de quantias em libras e reais que seriam entregues na Suíça. Sem fazer disparos, os criminosos entraram e saíram da estrutura em seis minutos.

De acordo com a Receita Federal, a remessa dos dólares foi declarada corretamente. O dinheiro estava em um avião da Lufthansa carregado em Guarulhos (SP) e que fez escala no aeroporto de Campinas para pegar mais carga antes de seguir viagem para a Europa.

Roubo em Viracopos foi executado em seis minutos — Foto: Arte/G1
Roubo em Viracopos foi executado em seis minutos — Foto: Arte/G1

Alterações na segurança

A concessionária administradora de Viracopos admitiu que, após o caso, realizou “diversas mudanças para aprimorar a segurança” no aeroporto, em conjunto com autoridades policiais e aeroportuárias. Detalhes, entretanto, são mantidos em segredo para evitar novos crimes.

“A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos esclarece que aguarda a conclusão das investigações por parte da Polícia Federal, que estão sob segredo de Justiça, para tomar as medidas cabíveis de acordo com o que for apurado”, diz trecho da nota.

Portões foram danificados por quadrilha durante roubo em Viracopos — Foto: Reprodução/ Fantástico
Portões foram danificados por quadrilha durante roubo em Viracopos — Foto: Reprodução/ Fantástico

Veículo usado no crime foi achado queimado — Foto: Reprodução / EPTV
Veículo usado no crime foi achado queimado — Foto: Reprodução / EPTV

À EPTV, em fevereiro, o presidente da gestora, Gustavo Müssnich, contou ter recebido informações da PF de que, “em breve”, a corporação deve divulgar resultados das apurações. Além disso, ele foi questionado sobre um suposto envolvimento de funcionários que trabalham no terminal.

“Existem suspeitas sim, mas o delegado ainda não nos deu detalhes, acho que até por conta da questão do sigilo da investigação, não seria nem adequado, mas ele disse que em breve deve anunciar alguma coisa […] A estrutura de segurança do aeroporto é excepcional.”

Recomendações

Em nota, a Anac destacou que uma auditoria foi realizada em Viracopos no período posterior ao crime, quando foram reavaliadas se as medidas de segurança do aeroporto atendem às regras vigentes. “O relatório foi concluído e todas as recomendações foram feitas à concessionária”, diz a assessoria ao mencionar que as orientações feitas precisam ser mantidas em sigilo.

A agência informou, em outro trecho, que a ocorrência não apresentou descumprimento evidente de requisito no regulamento sobre “as condições de segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita”, porque haviam recursos mínimos de segurança implementados.