Único sobrevivente do incêndio no CT do Flamengo ainda internado, o jovem Jhonata Cruz Ventura foi transferido de hospital neste domingo. O jogador de apenas 16 anos deixou o Municipal Pedro II para passar a ser atendido pelo Hospital Vitória, também no Rio de Janeiro.

A transferência se deve à evolução do paciente, que teve alta do CTI de Queimados. Como não há vaga no momento para a UI Queimados, a família e o Flamengo decidiram transferir o garoto para o outro hospital.

De acordo com o boletim médico divulgado neste domingo, Jhonata apresenta “bom estado clínico”, com previsão de manter o tratamento com antibiótico por mais 14 dias. Ele apresenta “lesões cicatrizadas em face, região cervical, dorso e membro superior esquerdo”.

Mas ainda faz tratamento com curativos em lesões em membro superior e na mão direita, que são as regiões mais afetadas pelas queimaduras sofridas no incêndio no CT Ninho do Urubu, no início de fevereiro. Segundo o boletim, nestas regiões a cicatrização ainda é “lenta”.

“Encontra-se fora de perigo, e de alta do CTI Queimados para a UI Queimados. Como não possuímos vaga neste momento na UI Queimados, a família e o Flamengo optaram pela transferência para o Hospital Vitória para manutenção do curativos em membro superior direito e na mão”, diz o boletim médico.

Dez adolescentes morreram no incêndio. — Foto: Arte/G1

Dos três sobreviventes do incêndio, Jhonata foi quem apresentou o quadro mais grave desde o início, com mais de 30% do corpo queimado no incêndio que atingiu os contêineres onde estava alojada a base do Flamengo. O episódio trágico aconteceu no dia 8 e causou a morte de dez jovens atletas do clube carioca.

Os outros dois sobreviventes já tiveram alta. Cauan Emanuel e Francisco Dyogo estavam internados no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, no Rio. Com as lesões mais leve, Cauan foi o primeiro a ser liberado. Francisco deixou o hospital uma semana depois do incêndio.

Indenização às vítimas

Na última semana, o Flamengo fez acordo com a primeira família de um dos dez meninos mortos no incêndio ao alojamento do Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio.

As negociações com as outras famílias estão em andamento, segundo o clube. A identidade dos parentes que fecharam o acordo está sendo mantida sob sigilo por motivos de segurança. Assim como os valores acertado entre o Flamengo e as famílias.

A ideia do clube é negociar cada caso individualmente.

Ninho do Urubu interditado

Também na última semana Prefeitura do Rio decidiu cumprir a interdição do Centro de Treinamento do Flamengo, mais conhecido como Ninho do Urubu.

Na entrada do CT, na Zona Oeste, o documento da prefeitura comprova que a interdição – nunca cumprida – foi determinada em outubro de 2017. No canto, escrita à mão, uma atualização com a data desta quarta-feira (27). Segundo a prefeitura, o clube já tinha sido multado 31 vezes por causa do funcionamento do Ninho do Urubu sem alvará.

O edital diz que o Centro de Treinamento não tem alvará de licença para estabelecimento nem habite-se.

Alojamento que pegou fogo e deixou dez adolescentes mortos e outros três feridos no Ninho do Urubu — Foto: Reprodução/JN

Alojamento que pegou fogo e deixou dez adolescentes mortos e outros três feridos no Ninho do Urubu — Foto: Reprodução/JN

Desde o incêndio, no dia 8 de fevereiro, nenhum atleta do clube vinha dormindo no Ninho. Até a terça-feira (26), o local estava sendo usado apenas para treinamentos.

No último dia 13, a Justiça já tinha proibido a entrada e qualquer atividade de crianças e adolescentes no CT. A Guarda Municipal vai controlar o acesso, que ficou restrito aos funcionários das obras de adequação do Ninho.

Em nota, a prefeitura diz que as portas foram lacradas e assim devem permanecer até que sejam regularizadas as pendências urbanísticas e fiscais do estabelecimento.

Por causa da interdição, a programação do Departamento de Futebol precisou mudar na véspera do jogo contra a Portuguesa. O treino foi transferido para a sede da Gávea, na Zona Sul da cidade, onde o time profissional deixou de treinar regularmente em 2010.