A família da idosa de 101 anos estuprada pelo genro, em Pombos, Zona da Mata de Pernambuco, denunciou à polícia ameaças sofridas após a prisão do agressor, que era casado há 21 anos com a filha da vítima. De acordo com a Polícia Civil, na quinta-feira (7), dia da prisão de José Bezerra da Silva, a irmã dele também chegou a ser detida, após agredir a cunhada, na delegacia.

A prisão ocorreu depois que a filha da idosa escondeu câmeras no quarto da idosa e flagrou a violência sexual. O homem confessou o crime aos policiais.

Segundo a polícia, no dia da prisão, Zilda Bernardo de Oliveira, irmã de José, “golpeou” a filha da vítima nas costas e foi presa em flagrante por lesão corporal, mas liberada após pagar fiança. Ela responde ao processo em liberdade.

De acordo com a corretora de seguros Maria Talita Araújo, neta da vítima, a família recebeu mensagens de voz, pelo WhatsApp, enviadas pela irmã do acusado, pedindo que a família modifique a denúncia.

No áudio, a irmã do agressor diz coisas como ‘se ele morrer, você vai ver’ e ‘se prepare para fazer o enterro’, com um tom de intimidação. Levamos tudo para a delegacia e anexamos à denúncia. Ela pediu que minha mãe fosse até a delegacia e dissesse que minha avó e seu estuprador eram apaixonados. Ela sequer consegue tomar banho e se alimentar sozinha“, afirma a jovem.

O caso está sendo investigado pela delegada Danúbia Andrade, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul do estado.

Ainda segundo Maria Talita, a irmã do acusado foi bloqueada no WhatsApp pela filha da idosa, mas a família se sente ameaçada.

A defesa deles diz que minha avó e ele eram apaixonados e que ela consentiu. Ela não é uma pessoa lúcida, brinca de boneca e depende muito da gente. Querendo ou não, o que a irmã dele fala são intimidações“, declara.

Entenda o caso

A prisão aconteceu na quinta-feira (7). A filha da vítima, que tem um relacionamento há mais de 20 anos com o autor do crime, contou à polícia que estava desconfiada do companheiro e, por isso, instalou as câmeras escondidas. As cenas de violência foram registradas na manhã da quinta.

Ao ver as imagens, ela procurou a delegacia em Vitória de Santo Antão, município vizinho também na Zona da Mata, para denunciar o caso, uma vez que a cidade onde mora não tem atendimento policial específico para mulheres vítimas de violência.

José Bezerra da Silva, de 44 anos, foi localizado no local de trabalho, confessou o crime e não resistiu à prisão. Ele foi autuado pelo crime de estupro de vulnerável e, em audiência de custódia, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva e foi encaminhado ao presídio de Vitória de Santo Antão.