Projeto no Norte do Espírito Santo abre inscrições para entrega de alimentos agroecológicos

Mais do que consumidores de alimentos, co-agricultores, que financiam e contribuem com a produção agroecológica. Essa é a proposta da CSA Sapê do Norte, um modelo de relação direta entre agricultores do campo e consumidores da cidade.

O projeto abriu inscrições nesta sexta-feira (22) para novos co-agricultores no Espírito Santo, que podem participar contribuindo com uma taxa mensal para receber alimentos agroecológicos produzidos nos quilombos capixabas. São frutas, verduras, hortaliças, raízes, cereais e temperos, disponibilizados conforme a época do ano e a disponibilidade e adaptação ao local de produção.

Para realizar a pré-inscrição é preciso preencher um formulário online, onde se encontram mais informações sobre o projeto.

CSA é a sigla de Comunidade que Sustenta a Agricultura, uma forma de associação não necessariamente formalizada que existe pelo mundo e tem crescido no Brasil na última década. No ano passado o grupo iniciou as entregas da produção feita em Conceição da Barra e São Mateus, região conhecida como Sapê do Norte, para os co-agricultores que vivem em São Mateus e na Grande Vitória.

A iniciativa é de relação direta entre sociedade civil, sem vínculo com governo e empresas. A proposta é que os co-agricultores também participem de todo processo que envolve a entrega do alimento, integrando grupos de trabalho relacionados com comunicação, finanças e logística, além de eventuais mutirões nas áreas de produção. Para os agricultores, a garantia de escoar a produção e ter recursos financeiros seguros para sobrevivência e investimentos na produção agroecológica.

A produção local é entregue na cidade aos co-agricultores, que se organizam para repartir o necessário para sua alimentação. Os excedentes são doados a entidades carentes ou vendidos separadamente para não associados, com dinheiro revertido para os agricultores.

Parte dos territórios que produzem alimentos que abastecem a CSA são fruto dos processo de Retomadas Quilombolas que ocorrem nos últimos anos, realizando uma conversão agroecológica, em que voltam a produzir alimentos onde antes foi plantado monocultivo de eucalipto pelas antigas Aracruz Celulose e Fibria, hoje Suzano.

Em março, as entregas acontecem depois do carnaval em pontos de distribuição na capital e em São Mateus, em local e horário pré-definidos. O e-mail para mais informações é csasapedonorte@gmail.com.