Por Luiza Marcondes, G1 ES

Um jovem de 20 anos foi encontrado morto em um quarto de pensão em Aveiro, em Portugal, na tarde da última sexta-feira (22).

Ele e a mãe deixaram o município de Aracruz no Espírito Santo para trabalhar três meses no país. Nessa terça-feira (26), foi feita uma autópsia no corpo para indicar a causa da morte. O resultado do exame sai na próxima sexta-feira (1).

Ilhler Fraga, de 20 anos, e a mãe Verônica de Oliveira, de 52 anos, embarcaram para Portugal no dia 2 de fevereiro. Mãe e filho se planejavam, incentivados por um amigo, para passar três meses trabalhando no país.

O pai Ilhler e marido de Verônica, Nilson Fraga, contou que quando eles chegaram lá, o emprego que estava programado não deu certo e uma semana depois da chegada da família, o amigo voltou para o Brasil.

De acordo com o relato do pai, a mãe decidiu então que voltaria para o Brasil neste sábado (2), mas como o dinheiro só dava para uma passagem, o filho tentaria trabalho por mais um tempo. Eles estava em uma área rural próxima ao município de Aveiro.

Na quarta-feira (20), os dois alugaram um quarto em uma pensão na cidade, o que facilitaria o deslocamento para procurar algum trabalho.

Eles estavam morando em uma área rural e se deslocaram para ficar mais próximo do centro. Meu filho tinha uma entrevista de emprego. Ela foi para Lisboa na quinta, mas ele ficaria na pensão para levantar algum dinheiro”.

Em contato com uma amiga também de Aracruz que mora em Portugal e trabalha fazendo faxina, Verônica foi de trem para Lisboa, capital do país, que fica a aproximadamente duas horas de Aveiro na quinta-feira (21). Ilhler continuou na pensão que tinha sido alugada por ele e a mãe.

Trajeto de Aveiro a Lisboa de trem — Foto: Reprodução/ Google Maps
Trajeto de Aveiro a Lisboa de trem — Foto: Reprodução/ Google Maps

A minha esposa foi para casa dessa amiga. Ela só tinha 35 euros e faria uma faxina na sexta pela manhã. Meu filho então dormiu sozinho de quinta para sexta. Foi a primeira vez que ele dormiu sozinho na vida. Infelizmente o pessoal deu falta dele por volta de 15h, chamaram a polícia, arrebentaram a porta e encontraram ele morto em cima da cama”, conta o pai.

Morte

Nilson declarou que esteve em contato com a polícia portuguesa e eles afirmam que não tinham sinal de violência no corpo do jovem, que foi encontrado já sem vida no quarto da pensão. Nessa terça (26), foi feita uma autópsia. O resultado do exame que irá apontar a causa sairá na sexta (1).

Ele estava morto e isso a gente não entende, como um menino com saúde pode acabar morto. O certo é que os filhos enterrem os pais. Então você não pode imaginar o quanto é sofrível para um pai. A dor é grande, a ferida está aberta e ela só vai desaparecer quando eu morrer”, declara Nilson. Ilhler era mais novo dos dois filhos do casal.

A causa da morte também é um mistério para os pais que afirmam que o filho não tinha envolvimento com droga e era um jovem muito caseiro. Eles acreditam que Ilhler possa ter sofrido um mal súbito.

Pedido de ajuda

O pai do jovem, o comerciante Nilson Frota, iniciou uma campanha para trazer o corpo de volta para o estado. O translado estava orçado em R$ 40 mil, mas a família decidiu que, pelo custo, traria o corpo cremado.

Pai relata a dor de perder filho em Portugal, no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta
Pai relata a dor de perder filho em Portugal, no ES

Encerramos a campanha porque já conseguimos dinheiro para cobrir esse custo. Optamos pela cremação por ser a forma mais rápida e menos burocrática de trazer o corpo dele. Vai amenizar um pouco o sofrimento, porque a dor nunca vai acabar”, contou Nilson que agradeceu a solidariedade dos moradores do município.