Brunno Lima foi capitão e marcou contra a Portuguesa — Foto: Léo Borges
Bruno Lima foi capitão e marcou contra a Portuguesa — Foto: Léo Borges

A Cabofriense venceu a Portuguesa por 2 a 0 no último domingo em casa, e um jogador saiu da partida com ainda mais motivos para comemorar.

O zagueiro Bruno Lima marcou um dos dois gols da partida e fez a sua estreia como capitão da equipe. Ele ainda foi elogiado pelo técnico Valdir Bigode, que chegou ao clube para essa Taça Rio.

Bruno Thiago Gomes de Lima (Bruno Lima) é de Mantenópolis, aqui pertinho de Barra de São Francisco. Ele tem uma história de superação. Sair de uma cidade de pouco mais de 10 mil habitantes e vencer no futebol não é tarefa fácil, mas Bruno conseguiu com muito esforço e dedicação.

Veja também

Bruno Lima, de Mantenópolis, é sensação na final do Campeonato Paulista pelo Audax

Bruno Lima atleta do Audax grava vídeo pedindo a torcida de Mantenópolis e região na final do Paulistão 2016.

– É um cara de liderança, de comportamento, não que os outros não tenham, mas é um cara que fala mais, sabemos das atitudes, comportamento, as oportunidades que ele vem tendo para outras situações e não está abandonando o barco, está com a gente, fechado. Esses motivos me levaram, junto com a comissão técnica que já estava aqui antes de mim, a colocá-lo como capitão. Ele tem a obrigação de comandar o time dentro de campo como capitão. Foi merecido – disse Valdir.

O zagueiro Bruno Lima foi um dos destaques da Cabofriense no primeiro turno. Principalmente pelo estilo aguerrido dentro de campo. A inspiração, aliás, veio de um jogador nascido no país vizinho.

Brunno Lima foi um dos principais nomes da Cabofriense na Taça Guanabara — Foto: Léo Borges
Bruno Lima foi um dos principais nomes da Cabofriense na Taça Guanabara — Foto: Léo Borges

– Todos brincam comigo dizendo que não sou brasileiro, que tenho uma porcentagem muito grande de sangue argentino (risos). Tenho como inspiração dois grandes jogadores: um brasileiro que é o Marquinhos, do PSG, e o Mascherano, ex-Barcelona. Creio que a porcentagem argentina veio do Mascherano (risos) – brinca.

O rendimento de Bruno no primeiro turno chamou a atenção de outros clubes. O zagueiro recebeu uma proposta para deixar a Cabofriense, mas optou pela permanência no time da Região dos Lagos.

– Recentemente tive a oportunidade de sair para outro clube e, em conversa com a comissão técnica, diretoria e com o presidente Valdemir Mendes, prometi ficar e honrar essa camisa até meu último dia no clube. Falei isso com eles e é isso que estou fazendo e continuarei fazendo. Meu foco está aqui e tenho certeza que Deus vai abençoar e vai aparecer uma oportunidade em um grande clube. Estou trabalhando forte para isso – afirmou.

Brunno Lima marcou de cabeça diante da Portuguesa — Foto: Léo Borges
Bruno Lima marcou de cabeça diante da Portuguesa — Foto: Léo Borges

Apesar do estilo “argentino”, Bruno Lima ainda destacou a importância de um técnico para o seu futebol: Fernando Diniz, atualmente no Fluminense. Eles trabalharam juntos no Audax-SP.

– Fernando Diniz é uma pessoa que fica até difícil falar. Me ajudou muito no meu amadurecimento como profissional e pessoal. Uma pessoa que sempre procurou me ajudar, sempre quis o meu bem. Creio que a maior característica que ele deixou e que me ajudou muito em minha formação, foi ser um zagueiro diferente, sem desespero, sendo calmo e sempre querendo a bola, sempre querendo jogar e nunca ser covarde. Além de tudo ele não me formou só como atleta, me formou como homem de verdade, honrando seus compromissos dentro e fora de campo – encerrou o defensor.