O agente penitenciário Francisco Moacir Nunes Junior, de 37 anos, matou com um tiro a namorada Iara Coelho da Silva, de 30, durante uma briga do casal, em Sorocaba, na noite de sábado, 23. Em seguida, ele colocou o corpo dela no carro e viajou até a casa dos seus pais, em Itapetininga, a 65 km de distância.

Depois de contar o que o tinha acontecido, Nunes Junior pediu perdão à família, saiu da casa, entrou no carro onde estava o corpo da mulher e se matou. Aos familiares, o agente alegou que o tiro contra Iara tinha sido acidental.

O casal estava junto havia mais de um ano e morava na zona leste de Sorocaba. Francisco Junior trabalhava como agente penitenciário em Mairinque, cidade vizinha. Conforme relatou aos familiares, a namorada havia encontrado mensagens de outra mulher em seu celular e ele saiu de casa, mas voltou para pegar seus pertences. Os dois discutiram e ela teria tentado tirar o revólver de sua mão, quando houve o disparo.

Ao ver que o agente estava muito abalado, a mãe tentou impedi-lo de sair de casa, mas Nunes Junior pulou o portão. Em seguida, a família ouviu o disparo.

O serviço de resgate do Corpo de Bombeiros foi acionado e constatou a morte do agente. Os dois corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Itapetininga. O corpo de Francisco foi sepultado na tarde deste domingo, 24, no cemitério Jardim Colina da Paz. Não havia informações sobre o local de sepultamento do corpo da mulher.

A Polícia Civil apreendeu a arma do crime e um colete à prova de balas do agente penitenciário. As mortes foram registradas como homicídio e suicídio.