Os deputados Enivaldo dos Anjos (PSD), líder do governo na Assembleia Legislativa, Euclério Sampaio (DC) e Marcelo Santos (PDT) são os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá investigar desde a máfia dos guinchos até licenças ambientais. A “CPI do fim do mundo”, como está sendo chamada nos meios políticos, foi proposta por Enivaldo para combater irregularidades em áreas que tocam ao dia a dia da população.

A Comissão vai apurar irregularidades em contratos de guincho, pátios de veículos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) ou dos municípios, contratação e operação de radares, procedimentos de licenciamento ambiental, ação criminosa e deficiência na prestação de serviços de telefonia e energia elétrica, poluição ambiental, contratos de terceirização de lixo e sonegação fiscal.

“Tomei a iniciativa devido às denúncias que recebi quanto à possível existência de irregularidades nos contratos de remoção de veículos, operados por guinchos contratados pelo Detran, bem como possíveis irregularidades no procedimento licitatório instaurado para contratar pátios por aquele órgão executivo de trânsito”, disse Enivaldo.

A criação de uma CPI mais abrangente foi motivada, segundo ele, ao tomar conhecimento de possíveis irregularidades na contratação, instalação e operação de radares nas vias públicas estaduais, notadamente operadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER/ES), “que estaria omitindo-se do seu dever de realizar e atualizar estudos prévios nas vias como condição para a instalação de radares”.

Para ele, é preciso ainda investigar a “a existência de ardil criminoso e deficiência na prestação de serviços de telefonia e distribuição de energia no Estado, bem como a poluição do meio ambiente e sonegação fiscal, notadamente de grandes empresas aqui instaladas, em detrimento do povo do Estado do Espírito Santo”, disse o deputado.

A leitura do requerimento de criação da CPI foi feita em plenário nessa segunda-feira (25) e os membros definidos na sessão desta quarta.