O LADO MAIS DISTANTE DA LUA E DA TERRA CAPTURADO A PARTIR DO SATÉLITE CHINÊS DSLWP-B / LONGJIANG-2 (FOTO: DIVULGAÇÃO/MINGCHUAN WEI (HARBIN INSTITUTE OF TECHNOLOGY))

Depois de quase oito meses em órbita lunar, o satélite chinês DSLWP-B / Longjiang-2 capturou uma visão rara: num clique feito no último domingo (3), foi possível observar a Terra e a face mais distante da Lua, numa mesma imagem.

O satélite responsável pela foto foi projetado por estudantes do Instituto de Tecnologia de Harbin (China). As imagens foram capturadas graças a uma webcam simples acoplada ao Longjiang-2. A ideia é que elas fossem enviadas à Terra com a ajuda de uma pequena antena do próprio satélite, mas, como ele está muito distante do nosso planeta, os chineses precisaram uma ajuda extra.

Para concluir a missão, os estudantes contaram com o apoio do telescópio Dwingeloo, que, por possuir uma antena de rádio maior e mais potente, conseguiu fazer o download das fotos. Mas a tarefa não foi tão simples: baixar 16 KB levou quase 20 minutos. No Twitter, Tammo Jan Dijkema, um dos operadores do telescópio, contou que a imagem original, na verdade, mostrava a Lua e a Terra em tons de violeta. “Nós precisamos corrigir as cores da [foto] original”, escreveu.

Nova foto mostra nova perspectiva sobre a Terra e a Lua (Foto: Reprodução/Twitter/@tammojan)
A FOTO ORIGINAL TINHA 640X480 PIXELS E TONS MAIS ARROXEADOS (FOTO: REPRODUÇÃO/TWITTER/@TAMMOJAN)

Ainda que existam expectativas que o Longjiang-2 faça novos cliques nos próximos meses, sua missão está chegando ao fim. Se tudo ocorrer como o planejado, o satélite deixará de operar em agosto de 2019, quando sua reserva de combustível deve acabar.