Dois suspeitos de integrarem uma quadrilha de roubo de cargas foram presos em Linhares, no Espírito Santo, nesta quarta-feira (13). Só no último roubo do grupo, o prejuízo foi de R$ 370 mil para as vítimas. Um dos suspeitos ainda está foragido.

“Essa quadrilha cooptava motoristas que iam dirigir o caminhão e em determinado momento chegavam e forjavam um roubo da carga. Quando na verdade, o caminhoneiro entregava essa carga para a quadrilha mediante uma remuneração que variava de R$1 mil a R$10 mil, e após o fato o caminhoneiro ia até a Polícia Civil e registrava como se tivesse ocorrido um roubo”, disse o delegado Gabriel Monteiro.

O grupo já era investigado há um ano. O último roubo identificado pela polícia aconteceu em 2018, na Serra.

“Normalmente essa carga tinha origem de Linhares, de café e o destino dela era São Paulo. Eles pararam no melhor ponto para a ocasião”, completou.

Um caminhoneiro que é suspeito de participar do esquema foi preso em 2018 e confessou o crime. Segundo o delegado responsável pelas investigações, o suspeito teria simulado pelo menos três assaltos.

Depois que a carga era saqueada, ele procurava a polícia e registrava a ocorrência. “Ele foi preso no ano passado por falsa comunicação de crime, furto qualificado e associação criminosa”, explicou o delegado.

A participação de mais envolvidos não é descartada pela polícia. Outro suspeito de integrar a quadrilha, Wellis de Carvalho Paim, de 32 anos, é considerado foragido pela polícia.