Marca diz enxergar enorme potencial para o modelo em toda a Ásia

Dyogo Fagundes / motor1

Depois de identificar certa estagnação no surgimento de novos consumidores na Europa, o elétrico Twizy, da Renault, parece ter encontrado na Ásia terreno fértil para alcançar o sucesso. À venda na Coreia do Sul desde o início do ano passado, o modelo caiu no gosto do consumidor local e tem comemorado resultado comerciais bastante animadores, muito em razão da proposta urbana e do apelo sustentável da propulsão elétrica. Localmente, o compacto é posicionado como uma espécie de alternativa moderna e futurista às tradicionais motocicletas equipadas com motores a combustão.

O Twizy começou a ser oferecido na Coreia do Sul em fevereiro de 2018 através de um projeto piloto tocado em conjunto com o serviço postal do país. Desde então, o interesse entre os sul-coreanos cresceu e o modelo acabou surpreendendo até a própria Renault. No acumulado do ano passado até novembro, por exemplo, foram entregues no país cerca de 1.400 unidades, mas a lista de interessados já conta com mais de 3.700 pessoas. A ideia agora é vender pelo menos 15.000 Twizys até 2024, atendendo principalmente grandes centros urbanos como as cidades de Busan e Seul.

Renault Twizy
Renault Twizy
O objetivo é substituir 10.000 motocicletas de combustão interna altamente poluentes e expandir a oferta do modelo por outros mercados da Ásia. Além do diferencial elétrico da propulsão, o Twizy se destaca pelo porte compacto e capacidade para levar duas pessoas, características que o credenciam para rodar nas ruas estreitas das cidades asiáticas.