A cada dia somos surpreendidos com a rapidez dos avanços tecnológicos. A tendência é que esses saltos aconteçam com maior frequência e impactem diretamente em nossa rotina, já que estamos vivendo a quarta revolução industrial. Dessa forma, falar em Inteligência artificial, internet das coisas, robótica e machine learning é cada vez mais comum e integrada a nossa realidade.

A quarta revolução industrial, ou Indústria 4.0, é um conceito desenvolvido pelo alemão Klaus Schwab, diretor e fundador do Fórum Econômico Mundial. Segundo ele, a industrialização atingiu uma fase que novamente “transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos”.

Com isso, diferentes tecnologias surgem, se desenvolvem e se mesclam sem nos darmos conta. Quando percebemos, já estamos usufruindo dos seus benefícios e fazendo coisas que pareciam um sonho futurista pouco tempo antes. Pense em como assistíamos televisão ou utilizávamos o celular há alguns anos, hoje temos o mundo ao alcance das mãos, com alguns toques conseguimos pagar contas, fazer compras e até podemos falar com quem está do outro lado do planeta.

Entenda as revoluções industriais

Quando ocorre uma grande mudança no processo industrial por causa de uma série de inovações tecnológicas há impactos globais nos âmbitos social, econômico e político. Além disso, a próxima geração deve ser a mais impactada pela tecnologia em toda a história e, como reflexo, levar o contato com os robôs a um nível completamente diferente.

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) estima que oito áreas irão sofrer grandes impactos com as novas tecnologias introduzidas pela 4ª Revolução Industrial, são elas: automotivo, alimentos e bebidas, máquinas e ferramentas, petróleo e gás, têxtil e vestuário, química e petroquímica, tecnologias da informação e comunicação e construção civil.

Segundo o diretor da faculdade à distância Unigran Net, José Ronaldo Veronesi Júnior, a capacidade de criação ainda é humana, mas com a revolução industrial o profissional deixará de ser mão de obra operacional para ser o desenvolvedor dos processos e colocar a tecnologia para executar.

“A Indústria 4.0 trará uma demanda de profissionais mais dinâmicos e atualizados com as tecnologias profissionais, com isso, eles vão ter que desenvolver habilidades e conhecimentos de uma forma mais rápida e dinâmica. É diante dessa necessidade que o ensino a distância proporciona o estímulo à formação de um profissional que deseja conquistar de forma contínua a construção do seu conhecimento de maneira disciplinada.

Mas como se preparar para a 4ª Revolução Industrial? O professor da MMurad/FGV e diretor da Progressiva Consultoria, Frederico Steiner, afirma  que o profissional que tiver a competência de se articular através de relacionamos humanos, em um mundo cada vez mais tecnológico, já estará se diferenciando de grande parte dos concorrentes profissionais. “As máquinas ainda são meios, mas a grande finalidade ainda são as pessoas”. Confira as dicas do profissional para se preparar para a Indústria 4.0.