Fotografia mostra mulher chorando  — Foto: Lucas Sandonato
Fotografia mostra mulher chorando — Foto: Lucas Sandonato

Por André Rodrigues e Mayara Mello, G1 ES e TV Gazeta

O estudante de fotografia Lucas Sandonato, de 23 anos, viajou para Brumadinho, em Minas Gerais, para acompanhar os trabalhos de resgate após o rompimento da barragem da mineradora Vale. Embora o cenário da cidade seja de “total devastação”, como relata o morador de Vila Velha, ele observou que a população local também busca forças para demonstrar solidariedade, amor ao próximo e esperança de dias melhores.

“Teve uma família que perdeu um ente super querido e ainda assim fizeram janta para mim. Isso é incrível. Eu e uma outra fotógrafa, de São Paulo, jantamos na casa da família”, emocionado, relatou o fotógrafo.

Fotógrafo saiu de Vila Velha e foi até Brumadinho, Minas Gerais, acompanhar as buscas  — Foto: Reprodução/TV Gazeta
Fotógrafo saiu de Vila Velha e foi até Brumadinho, Minas Gerais, acompanhar as buscas — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Lucas Sandonato conta que decidiu ir até Brumadinho para fotografar e registrar a situação da cidade após a tragédia. Além disso, ele também contou histórias de moradores da cidade, tanto dos que sofreram com as consequências da catástrofe, até dos que perderam algum conhecido.

“Em 2015, quando aconteceu o desastre em Mariana, eu já tive um sentimento muito forte com o ocorrido, porém, eu não pude fazer nada, ainda não era fotógrafo e não tinha uma profissão que pudesse ajudar de alguma forma. Dessa vez, em Brumadinho, eu me vi na obrigação de ir até lá para tentar prestar um serviço para a comunidade, para gerar um meio de comunicação mais acessível e mais claro”, explicou Lucas.

Animal resgatado após queda de barragem em Brumadinho, MG — Foto: Lucas Sandonato
Animal resgatado após queda de barragem em Brumadinho, MG — Foto: Lucas Sandonato

Sobre o resgate dos desaparecidos, o fotógrafo relatou que presenciou trabalhos de buscas realizados por homens do Corpo de Bombeiros e homenagens feitas para as vítimas por helicópteros.

“A tragédia foi de uma proporção imensa e é um tipo de experiência que só quem esteve lá e quem sofreu com a perda de parentes e amigos sabe mensurar o tamanho da coisa”, explicou Lucas, que em Brumadinho também acompanhou o trabalho de bombeiros do Espírito Santo.

Homenagem feita por helicóptero sete dias após barragem estourar em Brumadinho, MG — Foto: Lucas Sandonato
Homenagem feita por helicóptero sete dias após barragem estourar em Brumadinho, MG — Foto: Lucas Sandonato

Lucas saiu de Vila Velha, onde mora com a família, com destino a cidade mineira com apenas uma mochila com poucas peças de roupa e uma câmera. Lá, ele fez quase duas mil fotos.

“Aprendi que a vida passa muito rápido e que a qualquer momento você pode estar em sua casa e, por irresponsabilidade de uma empresa, uma onda gigante de lama pode chegar e acabar com sua vida”, lamentou.

Veja mais imagens feitas pelo fotógrafo Lucas Sandonato

Bombeiro durante trabalho de buscas por desaparecidos — Foto: Lucas Sandonato
Bombeiro durante trabalho de buscas por desaparecidos — Foto: Lucas Sandonato
Imagem mostra lugar devastado pela lama — Foto: Lucas Sandonato
Imagem mostra lugar devastado pela lama — Foto: Lucas Sandonato
Helicóptero resgata corpo durante buscas — Foto: Lucas Sandonato
Helicóptero resgata corpo durante buscas — Foto: Lucas Sandonato
Tristeza no rosto de moradores da região de Brumadinho, MG — Foto: Lucas Sandonato
Tristeza no rosto de moradores da região de Brumadinho, MG — Foto: Lucas Sandonato
Militares do Espírito Santo estiveram em Minas Gerais para ajudar nos trabalhos — Foto: Lucas Sandonato
Militares do Espírito Santo estiveram em Minas Gerais para ajudar nos trabalhos — Foto: Lucas Sandonato