As principais vítimas de assassinatos no Espírito Santo são os jovens negros. Um estudo realizado pela Fundação Abrinq mostra que o Estado é o segundo estado mais violento do Brasil.

De acordo com a pesquisa, 23,8% dos homicídios cometidos no ES em 2016 vitimaram menores de 19 anos de idade. Apenas o estado do Amapá fica na frente, com 26,6%.

Protesto motivado pela morte dos irmãos Ruan e Damião, em Vitória — Foto: Paulo Cordeiro/TV Gazeta
Protesto motivado pela morte dos irmãos Ruan e Damião, em Vitória — Foto: Paulo Cordeiro/TV Gazeta

Dos 298 homicídios em 2016, 35 foram cometidos contra crianças e jovens negros. Já as vítimas classificadas como brancas foram 21.

Se comparados com os dados de 1997, os homicídios contra crianças e jovens negros mais que triplicou.

Vítimas

Na última segunda-feira (14), os jovens Patrick Oliveira Souza, Luiz Fernando da Conceição Gomes e Wemerson da Silva Lima foram vítimas da violência que assombra o Espírito Santo. Eles foram mortos por conta da guerra pelo tráfico disputado por traficantes da região do Morro do Moscoso.

Jovens mortos durante tiroteio no Morro do Moscoso, no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta
Jovens mortos durante tiroteio no Morro do Moscoso, no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Igor Brun Kinack, técnico de uma escolinha de futebol do Rio Branco, foi outro jovem negro morto a tiros. No dia 25 de setembro de 2018, Igor foi morto ao sair de uma sorveteria com dois amigos, em Itacibá, Cariacica.

Treinador Igor Brum é assassinado a tiros — Foto: Reprodução/ TV Gazeta
Treinador Igor Brum é assassinado a tiros — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Os irmãos Ruan Reis, de 19 anos, e Damião Marcos Reis, de 22, foram assassinados no dia dia 25 de março de 2018. O crime aconteceu no Morro da Piedade, em Vitória. A polícia afirma que Ruan e Damião foram mortos por engano, já que os dois não tinham antecedentes criminais. Foram encontradas 22 marcas de tiros no corpo de Ruan e 20 no de Damião.

Irmãos são mortos no Morro da Piedade — Foto: Reprodução/Facebook
Irmãos são mortos no Morro da Piedade — Foto: Reprodução/Facebook

“Extermínio de jovens negros”

Segundo Crislayne Zeferina, que faz parte do Fórum Estadual de Juventude Negra do Espírito Santo (Fejunes), a ausência de políticas públicas colaboram para o que ela chama de “extermínio de jovens negros” no Espírito Santo.

“Precisamos iniciar trabalhos de políticas públicas para que os negros sejam reconhecidos como qualquer outro sujeito. Acredito que, se existe um extermínio, isso se dá por conta do Governo do Estado ser omisso. Não temos incentivo dentro das periferias, não tem emprego para essa juventude”, disse.

Crislaine acredita que existe solução para a violência — Foto: Reprodução/TV Gazeta
Crislaine acredita que existe solução para a violência — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Crislayne Zeferina acredita que uma solução para tentar diminuir os números da violência contra negros seria investimento na educação.

“Precisamos de uma escola real que ensine o aluno a ser crítico e a ver que tudo o que existe hoje no Brasil foram os negros que trouxeram. Acredito que nós, como sociedade civil, podemos mudar esse quadro”, concluiu.