Coloridas, texturizadas e de personagens infantis. Essas são algumas das características que as crianças e adolescentes observam quando o assunto é a compra da mochila escolar para a volta às aulas. A vasta cartela de opções que os deixam animados, ao mesmo tempo, alarma para um problema recorrente que acaba passando despercebido pelos pais.

De acordo com o especialista em dor crônica André Félix, o uso incorreto, o formato e o excesso de peso na mochila escolar podem acarretar futuros problemas para à saúde da coluna das crianças. “Essas mochilas causam uma sobrecarga na coluna vertebral e a má postura destas crianças provoca dor. Os pais precisam estar atentos ao peso e formatos da mochila do filho. Apenas com a orientação deles é possível minimizar os males causados pelo excesso de peso e a má postura”.

Segundo o especialista, uma pessoa que carrega um peso que excede em até 10 a 15% de seu peso corporal corre o risco de sentir dor nas costas e outros distúrbios relacionados, como a inflamação da cartilagem de crescimento, tensão e danos nos nervos do pescoço e ombros.

Em casos mais graves de lesões, esse excesso de peso pode ocasionar no agravamento de desvios na coluna, como a escoliose. Essa doença tem por característica o encurvamento da coluna, tanto para os lados, quanto para frente e trás e também em volta do seu próprio eixo. Assim como o trauma pelo excesso de peso, essa doença também pode ser causada por alterações ósseas, musculares ou neurológicas e, hábitos posturais inadequados.

Em casos menos graves o tratamento escolhido é o interdisciplinar, que utiliza a atuação de diversas áreas profissionais, como fisioterapia e acupuntura. Além disso, terapias para aliviar a dor e a prescrição de medicamentos podem auxiliar na maioria dos casos.

Escolha a mochila ideal

A primeira orientação do especialista em dor crônica André Félix é relacionada ao peso da mochila. Segundo ele o volume não pode ultrapassar 10% do peso da criança e do adolescente, por exemplo, se a criança pesa 40 kg, o peso total dos materiais não pode ser superior a 4 kg. E também, o ideal é que, ao carregar a bolsa, a coluna esteja o mais ereta possível.

O modelo da mochila também é importante para evitar problemas de postura. O tamanho deve acompanhar a superfície das costas da criança, chegando a quatro centímetros abaixo da cintura. Quanto maior o tamanho da mochila, mais peso será carregado. As alças devem ser duplas para não desequilibrar o peso, largas, acolchoadas e ajustadas ao corpo. Embora não seja a preferida de muitas crianças, as mochilas de carrinho aliviam o excesso de peso.