A atriz e apresentadora, Adriane Galisteu, disse que quer engravidar em 2019. Aos 45 anos, ela não descarta a hipótese de fazer um tratamento de reprodução assistida. Porém, engravidar após os 40 anos é seguro? A ginecologista, Layza Merizio Borges, doutora em Reprodução Humana, explica que após os 35 anos ocorre uma queda progressiva da fertilidade, sendo essa queda de 95% após 40 anos.

Além disso, após 40 anos ocorre um aumento significativo do risco de malformações genéticas. Para mulheres que desejam utilizar os próprios óvulos para engravidar após os 40 anos, está indicado realizar a Fertilização In Vitro e o estudo genético embrionário pré-implantacional.

Neste tratamento, antes de se transferir o embrião para o interior da cavidade uterina, o mesmo passa por uma biópsia, em que cerca de 5 células embrionárias são submetidas a estudo genético, possibilitando triar embriões saudáveis. Os embriões com alterações genéticas podem, por lei, ser descartados e somente os saudáveis serão transferidos. Entretanto, em muitos casos, não é possível obter nenhum embrião saudável para transferência devido à idade.

Uma opção a essa situação é recorrer a óvulos de uma doadora anônima com idade inferior a 35 anos, e, após fertilização com o espermatozoide do esposo, gerar o bebê até seu nascimento. Este processo, chamado ovodoação, é permitido no Brasil, considerado ético e legal desde que não haja fins comerciais e a doação seja anônima.

Desde a última resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), de setembro de 2017, esse processo foi facilitado. Antes, só era permitida a doação compartilhada: ou seja, tanto para doar quanto para receber óvulos, a mulher deveria estar em tratamento. Com a resolução nº 2.168/2017, passou a ser permitida a doação voluntária: as doadoras podem ser mulheres de até 35 anos que não tenham problemas de fertilidade e se submetam ao processo com o único intuito de doar seus óvulos.

A especialista orienta: “O ideal é que mulheres que desejam ser mães, e chegam aos 35 anos sem perspectivas de tornar esse sonho realidade, congelem seus óvulos para que possam engravidar após os 40 anos com óvulos saudáveis, preservando a taxa de fertilidade alta e o menor risco de malformações embrionárias. Essa técnica tem sido cada dia mais utilizada pela mulher moderna”.