Cento e quatorze falsos profissionais de Educação Física foram flagrados atuando de forma irregular no Espírito Santo em 2018. O balanço é do Conselho Regional de Educação Física (CREF1).

Do total de casos de exercício ilegal, grande parte foi em atividades de musculação, seguido por treinamento e circuito funcional e, com o mesmo quantitativo de nove ocorrências, no condicionamento físico e educação física escolar. Além desses, também foram constatadas 264 irregularidades nos estabelecimentos do estado.

O conselho faz o alerta que praticar atividades físicas sem o acompanhamento de um profissional adequado pode trazer sérios riscos à saúde.

A Serra foi o município com maior número de acontecimentos, com 22 flagrantes, seguido por Vila Velha com 20. Do total registrado no primeiro município, destacam-se os nove casos encontrados na musculação e os cinco em treinamento/circuito funcional.

No município canela-verde, também foram feitos nove flagrantes na atividade de musculação, além de três em treinamento funcional, dois na ginástica e, com um caso cada em: Beach Tênis, Futsal, Handebol, Ginástica Rítmica, Hidroginástica e Vôlei de Praia.

Na capital, que figura no terceiro lugar das cidades com maior índice de exercícios ilegais, foram flagrados quatro exercícios ilegais em Treinamento Funcional nas praias, dois em Ginástica, um em Hidroginástica e um em Vôlei de Praia. Dentre os municípios que apresentaram apenas uma ocorrência de exercício ilegal estão: Iconha, Marechal Floriano, Vargem Alta e Fundão.

Além dos supracitados, o CREF1 também fiscalizou os municípios de Cariacica, Guarapari, Viana, Ibatiba, Barra de São Francisco, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Linhares, Colatina, São Mateus, Alfredo Chaves, Marataízes, Cachoeiro de Itapemirim, Domingos Martins, Muniz Freire, Ibitirama, Iúna, Irupi, Aracruz, Alegre, Jerônimo Monteiro, Castelo, Piúma, Rio Bananal, Sooretama, Jaguaré, Ibiraçu, Anchieta, João Neiva, Atílio Vivacqua, Rio Novo do Sul, São Roque do Canaã, São Gabriel da Palha e Vila Valério.

De acordo com a Supervisora de Fiscalização do CREF1, Suellen Torres, o aumento no número de flagrantes se deve à grande procura pela atividade física. “Com a divulgação constante nas mídias dos benefícios da prática de atividade física, a procura pela contratação de serviços na nossa área aumentou, bem como a conscientização da sociedade sobre a importância da atividade física orientada por profissionais de Educação Física registrados no Sistema CONFEF/CREFs. Desta forma, os falsos profissionais estão sendo denunciados e flagrados de forma eficaz pelos fiscais do CREF1 ES”.

Além dos casos de exercício ilegal, também foram encontradas irregularidades nos estabelecimentos do estado. Entre elas, 109 ausências de Responsável Técnico nomeado no CREF1, 96 estabelecimentos não possuam registro de Pessoa Jurídica junto ao Conselho, 38 salas desprovidas de profissional de Educação Física e 21 profissionais atuando fora da área de habilitação.

Todos os casos de exercício ilegal foram encaminhados ao Ministério Público e os estabelecimentos irregulares estão com processos em andamento no Departamento Jurídico do Conselho.